domingo, 30 de diciembre de 2012

Clafoutis de cereja

Já tinha tempo que eu tinha visto esta receita de Claroutis lá no Tentacoesobreamesa (também tem no Gulosoesaudavel.com.br e no foodwishes) e estava com vontade de fazer. Nesta semana, apareceram cerejas bonitas (e relativamente baratas) no supermercado e resolvi tentar.

Recomendação que faço: a receita pede 350g de cerejas.... compre mais do que isso! (elas somem misteriosamente quando chegam em casa. Deve ser algum plano secreto de fuga das cerejas...).

Além disso, a massa fica bem líquida antes de ir assar mesmo (pode dar um pouco de receio na hora de levar ao forno), mas funciona: depois de assar, a massa fica com textura parecida com a de um pudim.

Também tinha pensado em usar um pouco de vinho branco na hora de cozinhar as cerejas, mas esqueci (fica para a próxima).

O texto básico deste post é o mesmo do  Tentacoesobreamesa (assim como a receita) - para dar créditos.

Ingredientes:
350 g de cerejas descaroçadas;
65 g de farinha;
2 ovos grandes;
180 ml de leite;
2+1 colheres de sopa de açúcar;
1/2 colher de café de aroma de baunilha;
1 colher de sopa de manteiga;
1 pitada de sal

Preparo:
Retire o caroço das cerejas e leve-as ao fogo brando com a manteiga, a pitada de sal e o açúcar (2 colheres - podendo usar mais, se as cerejas não estivem muito doces) por 3 a 5min. Deixe cozinhar até se forme uma calda. Retire as cerejas do fogo e reserve-as.



Depois que as cerejas esfriarem um pouco, unte uma forma com manteiga  e distribua as cerejas nessa forma.

Nessa hora, fiquei com dúvida se despejava a cereja da forma como estava ou se retirava a maior parte da calda (optei por retirar a maior parte da calda e reservar para comer na hora de servir).

Bata os demais ingredientes (farinha, ovos, essência de baunilha, leite e uma colher de açúcar) e despeje a mistura sobre as cerejas.

Leve ao forno alto, pré aquecido até a massa endurecer e dourar por cima (aqui em casa, foram aproximadamente 35min).

Sirva morno e bom apetite!



Ahh.... e Feliz Ano Novo também!

XD

miércoles, 26 de diciembre de 2012

Hambúrguer de ponta de faca

 Tudo começou com uma amiga dizendo "e agora o que eu faço com esse monte de filé?". Dei algumas sugestões e, entre elas, a aprovada foi esse hambúrguer de ponta de faca.

Basicamente, consiste de um hambúrguer em que a carne é cortada e não moída. Já tinha feito essa receita em BH e gastei horas (literalmente) preparando a carne. Agora tenho facas de cerâmica e em alguns minutos estava tudo cortado. Dica importante, então: use facas afiadas.

Eu sei que essa primeira foto do post não ficou das melhores, mas no meio de muita gente, passando hambúrguer, comendo e conversando, acabei não montando o melhor dos sanduíches para foto.

Ingredientes
filé mignon (8 bifes) - o ideal, na verdade, é um corte com um teor médio de gordura (sugiro fraldinha ou contra-filé, mas, como eu já disse, tínhamos filé sobrando)
90g de creme de cebola em pó
2 ovos
cebolinha e outros temperos (a gosto)

Preparo
A ideia desse hambúrguer é que ao usar carne cortada (e não moída), você consegue fazer com que a carne perca menos líquido na hora de ir para a chapa. Ainda assim, tem o problema de não poder ser muito grande (ou em tiras) ou o hambúrguer vai ficar puxando na hora de morder.

Não vou ter a pretensão de tentar definir um tamanho ideal, mas tente cortar cubos pequenos e evitar tiras de carne.

Após cortar a carne, a mistura para temperar e dar liga: no meu caso, apenas ovos, creme de cebola e cebolinha (alho também fica bom). Misture todos os ingredientes, cubra com papel filme e deixe descansar (eu deixei descansar enquanto assava os pães - se estiver usando pães prontos, espere uns 15min).

É bastante tradicional, neste ponto da mistura de ingredientes, as pessoas usarem miolo de pão ou farinha de rosca (eu não curto o gosto que essa mistura deixa e acho desnecessário para dar liga - prefiro ficar só no creme de cebola mesmo).

Após deixar a carne descansar, molde os hambúrgueres. O tamanho você faz adequado ao tamanho do seu pão; a altura você faz a gosto: se preferir carne mal passada, faça um pouco mais alta.
Como o filé é uma carne mais magra, usei um pouco de manteiga na hora de passar os hambúrgueres (e também uma frigideira anti-aderente, bem quente).

Para a carne não desmontar (além de usar a frigideira bem quente) é não ficar virando a carne demais (o que também ajuda para conseguir um ponto mais mal passado - que era o que eu queria). Ajeite os hambúrgueres na frigideira, deixe um dos lados selar bem (sem queimar, claro) e só então vire-os.

Para um ponto mal passado, basta selar dos dois lados (deixando dourar) e servir.

Para quem gosta de carne mais passada, vire o hambúrguer algumas vezes (depois que já tiver selado dos dois lados, ele provavelmente não vai desmontar).
Para servir, alguns pães (normais e de cebola) feitos na hora e saladas e queijos e molhos e acompanhamentos a vontade (para cada um fazer o seu).

Boa farra, bom hambúrguer, bom apetite e bom fim de ano (e ano novo)!

Só pra terminar: continuo correndo, continuo cheio de texto para entregar e coisa pra fazer. Continuo cozinhando também, mas o tempo para fazer posts tá complicado... um dia eu volto ao normal (espero).

viernes, 14 de diciembre de 2012

Gingerbread house

Não tenho (acho que nunca tive) habilidade para trabalhos artísticos e coisas bonitinhas... mas vi o vídeo desta gingerbread house e resolvi testar para ver se qualquer um conseguiria fazer (e se eu consigo, realmente é porque QUALQUER um consegue).

Minha casinha não ficou muito grande (até porque fiz meia receita) e ficou toda torta e desajeitada... ainda assim, cheia de gengibre e amor (mentira, era canela mesmo).



Ingredientes:
6 xícaras de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento químico
0,5 colher (chá) de bicarbonato de sódio
2 xícaras de manteiga (usei 2 colheres de sopa... lembrando que fiz meia receita)
1 xícara de açúcar mascavo
4 colheres (chá) de gengibre em pó (usei ralado)
4 colheres (chá) de canela
1,5 colher (sopa) de sal
2 ovos
1,5 xícara de melado (usei mel)

Preparo
O preparo é bastante simples: misturar bem todos os ingredientes, deixar a massa descansar na geladeira, moldar a casinha e assar.

Aí vamos por partes: a parte de deixar a massa na geladeira é importante: fica bem mais fácil malear essa massa quando gelada.

O vídeo diz para abrir a massa, com um rolo, em uma superfície enfarinhada. Tentei a superfície enfarinhada e não tive muito sucesso... funcionou (bem) melhor usando plásticos.

Massa recortada antes de assar
O vídeo diz use um molde de papel para cortar a massa antes de assar. Tentei. Até funcionou, mas a massa não assou exatamente da forma como eu tinha cortado: alguns pedaços ficaram arredondados, alguns cresceram de forma desigual...

 Massa re-recortada depois de assar 
No fim das contas, tive que re-recortar toda a massa depois que tudo estava assado e fiquei pensando se não seria mais prático assar uma grande forma reta e, depois de assado, cortar tudo de uma vez só.

Colando as partes
Por último, o vídeo fala para colar as partes da massa usando claras batidas em neve, misturadas com um pouco de açúcar: isso funciona.

Casinha pronta: toda torta e disforme,
mas cheia de gengibre e canela
Mas, assim como acontece no vídeo, provavelmente você também vai precisar de alguém que te dê uma mão e segure as paredes da casa enquanto você monta a estrutura básica.

Antes de assar


E, por último, para quem não tem paciência de tentar montar uma casa, vale o bom e velho formato de cookie mesmo:
Depois de assar

E bom apetite!



domingo, 25 de noviembre de 2012

À mesa

Vai testar receita assim lá na China!

XD

Esta foto veio da Carol e do Leo, lá da China, que já fizeram duas vezes o risoto que não faço quase nunca.

Brigadão e Voltem logo!!!

domingo, 18 de noviembre de 2012

Bolo de mel, canela e chocolate

Essa massa é próxima da de um pão de mel e não leva ovo, nem açúcar (não foram lapsos de digitação). O resultado final é uma massa macia e não muito doce.

Como misturei (irregularmente) chocolate derretido na massa, ficou interessante o contraste da parte não muito doce (massa) com as partes mais doces (do chocolate).

Ingredientes:
2 xícaras de leite
2 colheres (sopa) de canela em pó
6 colheres (sopa - cheias) de mel
1 colher (sopa) de manteiga
1 colher (sopa) de cacau em pó
1 xícara de aveia em flocos finos
gotas de essência de baunilha
1 pitada de sal

1 xícara de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó
50g de uvas passas brancas

150g de chocolate meio amargo

Preparo:
No liquidificador, bata o leite, a canela, o mel, a manteiga, o cacau em pó, a essência de baunilha e o sal.

Em uma vasilha, misture a farinha de trigo e as uvas passas. Acrescente a mistura batida no liquidificador e mexa bem - até ficar homogêneo.

Por último, acrescente o fermento, mexendo delicadamente, até o fermento estar incorporado a toda a massa.

Despeje a massa em uma forma untada e enfarinhada.
Derreta o chocolate e misture-o, grossamente (a ideia é NÃO ficar misturado de forma homogênea) à massa, ainda crua.

Leve para assar em forno médio, pré-aquecido, por, aproximadamente 20min (faça o teste do palito para saber se o bolo está assado: espete um palito em diferentes pontos da massa, se o palito sair limpo, o bolo está pronto).

Sirva morno e bom apetite!

jueves, 15 de noviembre de 2012

Risoto de aspargos verdes e presunto parma

Ingredientes
350 g de arroz arbóreo
2 colheres (sopa) de manteiga
sal e pimenta do reino (a gosto)
 suco de um limão 
 1,5l de caldo de legumes (aproximadamente)

alho poró (utilizei aproximadamente duas colheres de rodelas já cortadas)
presunto de parma (utilizei aproximadamente 6 fatias)
aspargos verdes (utilizei 10)
e queijo parmesão ralado na hora (a gosto)

Preparo
Pique os aspargos (já higienizados). Se necessário, corte e descarte as extremidades dos aspargos (caso elas estejam duras ou fibrosas). Corte a parte macia em pedaços regulares e reserve. Deixe as pontas inteiras para decorar (e também porque são gostosas de comer inteiras).



Corte o alho poró em fatias finas. Lembre-se de higienizar bem antes de usar.



Também corte o presunto em fatias finas e reserve.

Em uma panela, derreta a manteiga (com sal e pimenta do reino, a gosto) e doure o arroz - mexendo bem para garantir que todos os grãos vão dourar.



Eu prefiro acrescentar o alho poró depois que o arroz já está dourado e mexer para incorporar bem - mas há quem prefira dourar (levemente) o alho poró antes de colocar o arroz - fica a seu critério.

Após dourar o arroz (e misturar o alho poró), acrescente o suco de limão e mexa bem. Normalmente, neste ponto da receita, é utilizada uma pequena dose de vinho branco - o limão é uma dica da Vânia (do gulosoesaudavel.com.br): provei a dica uma vez em que não tinha vinho em casa e gostei tanto do resultado que venho repetindo... mesmo quando tenho vinho em casa.


Acrescente o caldo de legumes (ele deve estar quente, mas não fervendo) aos poucos, sempre mexendo para o amido do arroz desenvolver bem - e o prato final ficar cremoso.


Como eu prefiro os aspargos mais crocantes, acrescentei os pedaços cortados quase no fim (quando o arroz já estava quase cozido).

Para quem prefere o aspargo mais macio, melhor acrescentar na hora que estiver dourando o arroz.



Por último, acrescente o presunto parma...


... e as pontas dos aspargos (novamente: eu prefiro os aspargos mais crocantes e, por isso, deixo pouco tempo para o cozimento deles).

O ponto do risoto é quando o arroz já está cozido (mas ainda al dente) e ainda tem caldo (não deixe secar totalmente) - caldo esse que, graças ao amido do arroz, deverá estar cremoso.





Para terminar, prove o sal (e acerte, se necessário) e sirva imediatamente, com queijo parmesão (ralado na hora) por cima.

E bom apetite.

lunes, 5 de noviembre de 2012

Chocolate fudge

Fudge não é um doce muito comum no Brasil - pelo menos não nas partes do Brasil que eu conheço.

A base tradicional dele é de açúcar, leite e manteiga, mas nesses tempos modernos (e corridos), dá para fazer com leite condensado e chocolate em barra.

O resultado final é um doce macio como um caramelo, mas sem ter aquele 'puxa' do caramelo, e que pode ser complementado com nozes, algumas frutas, biscoitos etc.

Acho que vale a pena avisar que ele acaba ficando bem doce (sempre bom avisar de antemão). Eu dou três dicas de receitas: Petitchef.comestadao.com.br e Chocolatria.com, apenas para mostrar variações (e também que os ingredientes e quantidades não são totalmente rígidos).

Ingredientes
400g de chocolate picado (sugiro meio-amargo)
200ml de leite condensado
50g de sementes de girassol torradas
50g de uvas-passas brancas

Preparo
Derreta o chocolate - em banho maria ou no microondas.

Se for derreter em banho maria, normalmente não tem problema porque o processo é bem visível.

Mas se for derreter no microondas - e não tiver experiência nisso -, eu recomendo sempre usar a potência mínima e intervalos curtos de tempo e, nesses intervalos, retirar do microondas e dar uma mexida para ver em que ponto o derretimento está. Falo isso porque conheço pessoas que enfumaçaram a casa inteira por colocar o chocolate em potência máxima em intervalos longos (e depois ainda colocaram a culpa em mim, dizendo que eu que falei o tempo errado).

Após derreter o chocolate, continue mexendo, fora do banho maria ou sem voltar com ele para o microondas (para ele esfriar um pouco) e acrescente as sementes de girassol e uvas-passas (ou outras castanhas, frutas, etc.)

Por fim, acrescente o leite condensado, mexendo até a mistura ficar uniforme (e mais firme).

Despeje a mistura sobre uma forma coberta com papel manteiga (ou  papel filme) - para facilitar na hora de desenformar - e, com uma espátula, tente acertar a superfície.

Deixe esfriar (na geladeira) por algumas horas antes de servir.

Após frio, corte em pedaços (não recomendo pedaços muito grandes).... e bom apetite!

viernes, 2 de noviembre de 2012

Sementes de abóbora torradas

Receita simples que eu fiz enquanto conversava ao telefone com a minha mãe - que ficou com vontade e falou que ia fazer hoje também.

XD

As sementes são da abóbora que usei para fazer a massa de abobora.

Limpei as sementes (para retirar aquele excesso de fibras do interior da abóbora) e deixei de molho (em água pura mesmo) por dois dias (eu deixaria menos, mas tive muita coisa para fazer nesses dias).

Eu ia fazer a receita no forno, mas como era uma quantidade pequena, acabei usando a frigideira anti-aderente mesmo.

Drene a água em que as sementes ficaram de molho e leve para torrar (na frigideira), sem óleo, nem nada.

 Mexa sempre para que as sementes não queimem de um único lado.

Dica de vídeo de como mexer comida numa frigideira (a explicação está em inglês, mas os movimentos são fáceis de entender).

Na metade do tempo, acrescente sal grosso e continue mexendo.

Quando as sementes estiverem bem torradas, desligue e deixe esfriar um pouco. Guarde em um pote com tampa.

Sirva como tira-gosto (ou talvez para ser um elemento crocante em uma salada).

E bom apetite!

miércoles, 31 de octubre de 2012

Massa de abóbora

Happy halloween!

Então.... obrigado a todo mundo que ainda tem paciência para entrar aqui de vez em quando e comentar e tudo mais.

Eu continuo correndo e muitas vezes fico devendo respostas e visitas e comenários... mas é a vida...

Aproveitando o halloween (sem mimimi cultural), e a partir da ideia de Pumpkin cinnamon rolls, do Foodwishes, fiz esta massa de abóbora (usando metade para fazer rolinhos e a outra metade para fazer tipo donnuts  assados).

Ingredientes
1 envelope de fermento biológico seco
3 colheres (sopa) de leite condensado
100ml de iogurte desnatado
100ml da água (utilizei a do cozimento da abóbora)
500g de abóbora (jerimum leite)
5 colheres (sopa) de açúcar
essência de baunilha
700g de farinha de trigo
100g de maisena

Mais:
manteiga, açúcar e canela



Preparo
Limpe, descasque e corte a abóbora. Cozinhe (em água pura mesmo) até ficar bem macia. Reserve 100ml da água do cozimento (até ficar morna).

Processe a abóbora (ou amasse, ou bata no liquidificador) até obter um purê homogêneo.

Misture as cinco colheres (sopa) de açúcar e gotas de essência de baunilha e leve ao fogo (para ficar com textura de purê mesmo). É possível colocar mais açúcar, mas, no meu caso, eu queria a massa apenas levemente adocicada.

Reserve o purê até ficar morno.

Antes de fermentar
Em uma vasilha, misture o fermento biológico e o leite condensado. Acrescente a água do cozimento da abóbora (importante esperar ela estar morna: se estiver quente demais, o fermento pode não funcionar). Deixe fermentar por 20min.
Já fermentada

Em uma vasilha grande (ou em uma superfície lisa - mas eu prefiro a vasilha porque faz menos bagunça), coloque 400g de farinha de trigo e acrescente a mistura fermentada, mais o iogurte.

Misture até incorporar totalmente a farinha aos ingredientes líquidos.

Acrescente o purê de abóbora (também enfatizo a importância de ele estar morno) e misture até a massa ficar homogênea.


Antes de fermentar

Acrescente o restante da farinha de trigo (300g) e a maisena (100g). Minha intenção era fazer uma massa mais macia (para uma massa um pouco mais firme, eu sugiro acrescentar mais 100g de farinha de trigo).

Já fermentado
Cubra a vasilha e deixe fermentar, até dobrar de tamanho (aproximadamente 30min).

A partir deste ponto, dividi a massa em duas partes. Da primeira, eu fiz rolinhos de abóbora com canela:


 Em uma superfície enfarinhada, abra a massa com o auxílio de um rolo 9também enfarinhado). Unte a massa com manteiga, açúcar e canela (quantidades a gosto), deixando uma borda limpa para fechar o rolo.




Enrole a massa, arrematando na parte limpa.


 Corte em fatias.


Organize as fatias deitadas em uma forma (deixe um espaço entre as fatias e reserve: a massa vai continuar fermentando até os rolos colarem uns nos outros.

Leve para assar em forno médio, pré-aquecido, por aproximadamente 25min (até a massa ficar dourada).






Da outra metade da massa, fiz algumas rosquinhas.





Separe porções de massa, polvilhe-as com farinha (para conseguir modelar). Faça uma bola de massa e abra um furo no meio. Ajeite em uma forma enfarinhada.


 Leve para assar em forno médio, pré-aquecido, por, aproximadamente, 25min.

Sobre alguns eu passei a mistura de manteiga, açúcar e canela. Sobre outros não. Fica a gosto mesmo.

A massa fica bem macia e com uma cor bem legal. E o melhor de tudo: a casa ficou com cheiro de canela!

:)




Bom apetite e... trick or treat!!
XD