domingo, 30 de agosto de 2015

Biscotti de laranja e alecrim

Receita do Frugalfeeding.com (com algumas alterações).



Ingredientes:
  • 240g farinha de trigo 
  • 80g açúcar refinado 
  • 1 colher (sopa) de fermento químico 
  • Pitada de sal 
  • 1 ramo de alecrim 
  • Raspas das cascas de 2 laranjas (bahia) 
  • 1 ovo (médio) 
  • 1 colher (sopa) de leite ( necessário)
Preparo

Misture bem a farinha, o açúcar, o fermento, o sal, o alecrim (picado) e as raspas das cascas de laranja (ralada no ralo fino),

Acrescente o ovo e misture até formar uma massa macia (e pegajosa). Se necessário, acrescente o leite neste ponto.

Coloque a massa sobre uma superfície enfarinhada e forme rolos de, aproximadamente, 10cm de comprimento.

Leve para assar (em forma untada e enfarinhada) por 20-25min. Ou até a massa estar dourada, mas ainda macia. O segredo do biscotti é não assar demais nessa primeira leva ao forno para ele não se despedaçar na hora de cortar.

Retire do forno e deixe esfriar por alguns minutos.

Corte os rolinhos na diagonal e rearranje os biscoitos na forma.

Leve ao forno novamente (temperatura mais baixa) por 10-15min, virando os biscotti na metade do tempo.

Retire do forno e deixe esfriar.

Sirva com café...
... ou com café e TV.






miércoles, 11 de febrero de 2015

Sopa de lentilhas com tomates tostados

Estreando o brinquedo novo (panela de ferro), resolvi testar uma receita que me possibilitasse levar a panela ao forno e também cozinhar em fogo baixo, aproveitando o calor.

A opção foi por uma sopa de lentilhas com tomates tostados (com um queijo quente para acompanhar).







Ingredientes
4 tomates maduros (grandes)
1 cebola média (picada em cubos médios)
3 dentes de alho
Pimenta de cheiro (a gosto)
Azeite
1 colher de dos açúcar (se necessário)
Sal, pimenta, manjericão e outros temperos (a gosto)
Cheiro verde (para finalizar)
Pão e queijo (para fazer um queijo quente - para acompanhar)

Preparo
Comece deixando as lentilhas de molho em água fria. Idealmente, deixe da noite para o dia (se não for possível, uma hora de molho em água já faz boa diferença).

Lave os tomates, unte-os com azeite e leve ao forno para tostar.

De tempos em tempos, vire os tomates para tostar em diferentes pontos.

Eu queria que os tomates ficassem tostados o suficiente para dar um sabor levemente defumado à sopa (mas não tanto a ponto de ficar com gosto de queimado).

Quando os tomates atingirem o ponto desejado, acrescente a cebola (cortada em cubos médios) e a pimenta de cheiro.

Leve ao forno novamente para a cebola caramelizar.

Por último, acrescente os dentes de alho.

Retire os tomates (e a pimenta) e passe-os no processador de alimentos ou liquidificador (o objetivo aqui é ter pedaços na versão final e não um purê de tomates).

Na panela, acrescente as lentilhas e mexa.

Acrescente os tomates processados.

E o manjericão.

Deixe a panela em fogo baixo (lembrando que minha panela era de ferro e aquece bastante, mesmo em fogo baixo).

Mexa, deixe ferver por alguns minutos e prove. Se a sopa estiver muito ácida, acrescente uma colher de açúcar para balancear.

Acrescente o caldo de galinha, prove o sal e deixe ferver (até as lentilhas estarem cozidas).

Sirva com cheiro verde (e um queijo quente também acompanha bem).

E bom apetite!

miércoles, 21 de enero de 2015

Bolinho de feijoada


Não é exatamente um bolinho de feijoada... é um bolinho à base de feijão preto.

O que dá a ilusão de feijoada à receita são o bacon (que pode ser retirado por quem está em busca de opção vegetariana) e os acompanhamentos (couve na manteiga e laranja fatiada).

Eu fiz esses bolinhos (da foto à esquerda) assados no forno, mas fritos eles ficam mais dourados.



Ingredientes
200g de feijão preto
bacon (a gosto)
temperos (sal, pimenta, cebola, alho, louro, coentro, etc) a gosto
1 ovo e farinha de rosca (para empanar)
couve, laranja e molho de pimenta (de acompanhamento)

Preparo
Deixe o feijão preto de molho em água fria na véspera. Lembre-se de trocar a água do molho pelo menos uma vez e trocar essa água (por água fresca) ao levar para cozinhar.

Se não for possível deixar de molho na véspera, deixe por, pelo menos 1h - isso vai, dentre outras coisas, facilitar o processo de cozimento.

Leve o feijão para cozinhar apenas com água (e com as folhas de louro, se estiver usando para temperar).

É bem normal formar uma espuma branca (feia) durante o cozimento do feijão - com uma colher (ou escumadeira), retire o excesso dessa espuma (e descarte).

Quando o feijão estiver cozido, leve ao processador (ou liquidificador).

Sugiro processar o feijão em pequenas quantidades e com um pouco de água para não forçar o motor do processador ou do liquidificador (e também sugiro retirar as folhas de louro, caso tenha utilizado no cozimento).

Em uma panela, refogue o bacon (picado em cubos pequenos), a cebola e o alho.

Acrescente o feijão processado e demais temperos (salsa, coentro, cebolinha, sal, pimenta, etc.).

Mexa até evaporar o excesso de água e obter uma massa moldável (na dúvida, teste, com duas colheres, se consegue fazer um bolinho - nem precisa preocupar com a aparência do bolinho neste momento).

Reserve a massa e deixe esfriar até a massa estar manuseável. Quando a massa estiver fria, molde-a em bolinhos (no meu caso, usei uma colher de sopa como medida).

Reserve dois pratos de sopa para empanar os bolinhos: no primeiro, coloque o ovo (batido com sal e outros temperos a gosto) e no outro a farinha de rosca (também com temperos a gosto). Para quem quer fazer a receita sem glúten, sugiro trocar a farinha de rosca (por maisena ou farinha de milho, por exemplo).

Passe os bolinhos pelo ovo e em seguida pela farinha de rosca.

Coloque os bolinhos empanados em um prato e deixe descansar (ao deixar descansar, a farinha de rosca absorve eventuais excessos de ovo - o que é especialmente útil se você for fritar os bolinhos).

Frite por imersão em óleo quente, ou leve ao forno alto, pingando algumas gotas de azeite por cima.

Sirva ainda quente, acompanhado de fatias de laranja e couve refogada na manteiga...

Em tempo.... Como eu disse no começo, fiz esses bolinhos da foto à esquerda no forno...

...mas abri uma brecha na minha política de não fritar coisas em casa e fiz uma leva frita em óleo de canola (como eu também disse no começo, eles ficam mais dourados... mas também mais calóricos... e fica o cheiro de fritura na casa - de que eu, particularmente - não gosto).

De qualquer forma... fritos ou assados, bom apetite!!

viernes, 16 de enero de 2015

Mustazzoli

Uns dias atrás eu vi o canal da Laura Vitale no YouTube.com (nem lembro como cheguei a ele). Dentre as receitas, me chamou a atenção esta de Mostaccioli, que eu achei que deveria tentar.

Bom... antes que me perguntem sobre o estranhamento entre os possíveis nomes da receita: vi referências na internet a mostaccioli como uma massa (tipo penne) e achei referências a Mustazzoli como sendo um biscoito a base de farinha, açúcar, limão e especiarias. Mas os nomes Mostacciuoli, Mastazzola, Mustazzueli, 'Nnasprati, Mustazzòli, 'Nnsparati, Scagliòzzi, Castagnole e Scajèzzuli também parecem ser válidos para este biscoito.

Bom... não que essa questão do nome vá fazer diferença.... De qualquer forma, a receita é bem simples (basicamente, misturar a parte seca com a parte úmida) e é interessante pra quem não quer comer derivados de leite e ovos (nas instruções originais, tem uma etapa final de pincelar os mostaccioli com ovo - que eu pulei -, mas é só isso).

Na minha versão, aqui em casa, fiz algumas alterações (um pouco de fibra de trigo, menos açúcar, açúcar mascavo no lugar do cristal, etc.), mas nada tão significativo (por isso, deixo a receita da Vitale).

Um dos pontos que achei que podem ser complicados na receita é achar o ponto da massa (já que não dá pra determinar, de antemão, a quantidade exata de água a ser utilizada.... no meu caso, por exemplo, nem foi necessário por cauda da quantidade de suco que a laranja gerou). Na dúvida sobre o ponto da massa, ele aparece na receita aos 3'09'' (ou nesta outra receita aqui, aos 4''34'').

Ingredientes:
3 xícaras de farinha de trigo
1,25 xícara de açúcar
1,5 colher colher de sopa de fermento químico
0,25 colher de sopa de canela em pó
0,25 colher de sopa de cravos (moídos)
0,25 colher de sopa de noz moscada ralada
1 colher de sopa de baunilha
raspa da casca de uma laranja e o suco da laranja
raspa da casca e suco de 0,5 limão
pitada de sal
0,5 xícara de água morna (caso seja necessário)

Preparo
Misture todos os ingredientes secos (farinha, açúcar, fermento, canela, cravos, noz moscada e sal).

Acrescente as raspas da casca da laranja (raspe, usando um ralador fino, sem atingir a parte branca da casca).

Incorpore o suco da laranja e do limão.

Caso seja necessário, para dar ponto, acrescente a água morna aos poucos. A massa deve ficar levemente grudenta, mas maleável (soltando das mãos).

Cubra a massa e leve à geladeira por, aproximadamente, 30min.


Sobre uma superfície enfarinhada, abra a massa (até atingir uma espessura de 1-2 dedos) e corte-a em losangos...

...mas se quiser tentar outros formatos - arredondados, achatados, etc - também fique a vontade para testar.

Leve para assar em forno médio por 15-20min (até estarem dourados).


A receita manda deixar esfriar antes de retirar da forma (eu achei que isso significava que eles poderiam sair desmanchando do forno, mas firmar depois), mas quando puxei a minha forma do forno, eles já soltaram naturalmente (apenas polvilhei farinha na forma).

Caso queira, cubra com chocolate (ou um fondant) e bom apetite

miércoles, 14 de enero de 2015

Fazendo a fila andar: Risoto de carne seca (com banana tostada)

Esta receita me traz memórias de cozinha...

Não tinha muito tempo que eu tinha saído da casa dos meia pais e vi uma receita de arroz de forno, com banana da terra e carne de sol. Chamei os amigos em casa para uma sessão risaiada, almoço e boa companhia e preparei a receita que vi. Lembro que não ficou ruim... Mas achei meio seco.

O tempo passou e resolvi retomar aquela combinação de sabores, mas tentando corrigir o que eu tinha achado que podia melhorar. Em vez de fazer arroz de forno, optei por um risoto,

Não coloquei as quantidades na receita (porque já tem tanto tempo que este post está parado que nem lembro direito quanto usei). Para ter um guia de quantidades, use de 100m a 150g de arroz por pessoa, meia colher de manteiga por porção e meia xícara de vinho para cada porção (se for usar suco de limão, sugiro usar a metade disso) - a quantidade de carne, queijo, temperos e outros acompanhamentos já depende do gosto de cada um.

Ingredientes
Arroz arbóreo
Manteiga
Caldo (de legumes, frango ou carne: no caso, optei pelo de legumes)
sal e temperos (a gosto)
Carne seca (carne de sol)
Banana (neste caso, optei por uma caturra mesmo)
Queijo parmesão (ralado na hora)
Cebolinha (ou cheiro verde) a gosto
Vinho branco (ou suco de limão)

Preparo

Em uma panela, derreta a manteiga e doure bem todos os grãos de arroz (mexa bem para garantir que todos os grãos serão dourados)

Acrescente sal e temperos e continue mexendo constantemente.

Acrescente o vinho branco (ou suco de limão), sempre mexendo o arroz.

Acrescente a carne seca já dessalgada e desfiada (você pode comprar a carne salgada e deixar de molho em água gelada da noite para o dia na geladeira, cozinhar e desfiar... ou pode comprar já dessalgada e desfiada - não é difícil de achar).
Aos poucos, misture o caldo de legumes - sempre mexendo constantemente.

A ideia de acrescentar o caldo aos poucos e ir mexendo sempre é fazer com que o arroz libere o amido natural (o que vai fazer o risoto ficar cremoso).

Para saber se o arroz já está cozido, experimente um grão de arroz (no caso do arbóreo, o arroz deve estar macio, mas com a parte central ainda al dente - levemente resistente à mordida).

A quantidade de líquido a deixar no arroz antes de desligar o fogo depende do gosto de cada um: você pode desligar o arroz e colocar uma última concha de caldo, ou pode deixar uma quantidade maior de caldo, ou pode até mesmo deixar secar mais. Eu prefiro o risoto ainda com caldo, mas um caldo mais cremoso.

Lembre-se sempre de provar o sal ao final do cozimento´.


Para a composição final, fatie as bananas longitudinalmente...

...e doure na frigideira, com manteiga.

Disponha as bananas (já douradas) em uma vasilha (no meu caso, usei um ramequim)



Coloque o risoto sobre as bananas, e finalize com queijo parmesão (ralado na hora) e cheiro verde

E bom apetite!

viernes, 9 de enero de 2015

Cookie spread (cookie butter - manteiga de biscoito)


A receita original é do Abeautifulmess.com e eu só adaptei as quantidades ao meu gosto pessoal.

Antes da receita,preciso fazer uma advertência de 'cuidado, muito perigoso': esta manteiga de biscoito é tão tão boa que fica difícil exercer o auto controle e parar de comer.

Para a minha manteiga, usei este biscoito aqui (propaganda gratuita), que já é difícil de resistir e/ou parar de comer por si só...

Mas a receita funciona com qualquer biscoito (a receita original só sugere que você retire os recheios caso opte por um biscoito recheado).

Fiz outro dia com biscoito Maria (normal mesmo) e fica bom do mesmo jeito.

Ingredientes
400g de biscoitos
50g de manteiga (sem sal)
100ml de leite condensado
100ml de leite ou água (o quanto for necessário)
pitada de sal (a gosto)

Preparo
Comece moendo ou despedaçando os biscoitos (fica a seu gosto deixá-los mais moídos ou com pedaços maiores - no meu caso, apenas quebrei os biscoitos grossamente porque ia bater todos de qualquer forma).

Em um liquidificador (ou processador) bata os biscoitos e a manteiga.

O resultado será uma farofa úmida de biscoito (semelhante àquelas usadas como base de tortas).

Separadamente, misture o leite e o leite condensado até a mistura ficar homogênea.

Aos poucos, acrescente a mistura de leite (e leite condensado) à farofa de biscoito (sugiro acrescentar o líquido aos poucos para controlar a textura desejada).

Quando chegar à consistência desejada, guarde a sua manteiga em uma embalagem fechada e armazene na geladeira. Bem armazenada, a manteiga dura por uma ou duas semanas... Eu só não consigo imaginar essa manteiga durando tanto tempo...

Você pode usar da mesma forma que outros spreads (tipo Nutella ou manteiga de amendoim): sobre pães, panquecas, bolos, biscoitos ou até pode comer de colherada (afinal de contas, quem sou eu para julgar alguém por comer Nutella de colherada?).

Use com sabedoria e bom apetite!

martes, 6 de enero de 2015

Biscotti de cenoura e castanha de caju

 Já tinha um tempo que eu não fazia biscotti e eu estava com umas cenouras sobrando na geladeira. Pensei em juntar as duas coisas e fazer um biscotti de cenoura.

Dei uma olhada na internet e vi um Biscotti Integral de Cenoura e Amêndoa (no  Suvellecuisine.com). Achei a receita bem legal (mas minha farinha integral tinha acabado e eu estava mais afim de fazer a receita apenas com ingredientes que eu tinha em casa).

No meu biscotti (menos integral que o do Suvellecuisine.com), tentei usar bem pouco açúcar - a cenoura já tem um gosto naturalmente adocicado e eu tenho uma tendência a preferir doces levemente adocicados aos fortemente doces (então, não queria arriscar).

Optei também por ralar a cenoura no ralo grosso (para quem prefere uma textura mais homogênea, sugiro ralo fino e/ou bater/processar a cenoura).


Ingredientes

2 cenouras médias (raladas)
2 ovos
essência de baunilha (a gosto)
400g de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento químico
1 pitada de sal
100g de castanha de caju (torrada e granulada)
4-5 colheres (sopa) de açúcar

Preparo
Pré-aqueça o forno.

Para facilitar a mistura final, misture inicialmente os ingredientes secos (farinha, sal, açúcar e fermento)... e, em seguida, misture (separadamente) os ingredientes molhados (cenoura ralada, ovos, castanha, essência de baunilha).



Em seguida, misture todos os ingredientes.


A massa deverá ficar grudenta, mas ainda moldável.



Despeje a massa sobre uma superfície enfarinhada e, polvilhando com farinha por cima, molde-a no formato de um tronco.


Coloque a massa em uma forma enfarinhada e leve para assar (em forno alto) por aproximadamente 20min.



Deixe a massa esfriar e fatie (na diagonal).


Redistribua a massa na forma (não há necessidade de untar ou enfarinhar a forma, nem de deixar espaço separando os biscoitos porque eles não vão mais grudar, nem crescer).

Leve para assar novamente por 20-40min (a definição do tempo dessa segunda assada depende de como você prefere seus biscottis: deixando mais tempo, ele fica mais crocante), virando os biscottis na metade do tempo para ficar homogêneo dos dois lados.



Conserve em local seco e fechado (não exige refrigeração) e bom apetite!

sábado, 27 de diciembre de 2014

Panqueca de dois (digo, seis) ingredientes

 Poucos dias atrás, comprei algumas bananas, mas elas começaram a amadurecer rápido demais (assustadoramente rápido demais). Lembrei da receita de panqueca de dois ingredientes do OurBestBites e resolvi tentar.

Teoricamente, a receita só precisa de dois ingredientes (banana e ovos) e não leva mais nada.

Bom... Não leva mais nada, mas o próprio OurBestBites sugere acrescentar canela e fermento.

Foto copiada do OurBestBites
Segui os passos da receita, mas não rolou (a panqueca queimou por baixo, mas não ficou com consistência para virar). O que me levou a acrescentar farinha (foi pouco, mas foi necessário) e tive que usar manteiga na frigideira (era antiaderente, mas sem manteiga ainda não estava rolando).



No fim das contas, minha panqueca de dois ingredientes ficou assim:

2 bananas nanicas
2 ovos
4 colheres (sopa) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento químico
Canela (a gosto)
Manteiga (para fritar) - ao todo, devo ter usado menos de 1 colher de sopa para fritar todas as panquecas (é só ir colocando aos poucos)

Preparo
Bata todos os ingredientes (todos menos a manteiga, claro) no liquidificador.

Aqueça a frigideira (recomendo antiaderente). Coloque uma pequena porção de manteiga (a ponta de uma colher) na frigideira e espalhe.

Coloque uma porção de massa (formando um disco de 5cm de diâmetro, aproximadamente) e deixe fritar até formar bolhas pequenas na superfície) e vire.


Ao contrário da massa tradicional de panqueca (em que essas bolhas são bem aparentes e marcadas), nesta massa de banana as bolhas são pequenas (se você esperar até as bolhas grandes, a massa vai torrar por baixo - sim, tentei baixar o fogo, mas não foi suficiente: o ideal foi virar a massa quando as bolhas ainda estão pequenas mesmo).

Quando virar a panqueca, espere ela estufar/crescer um pouco (por causa do fermento) e dourar levemente (aproximadamente 1min).

Sirva as panquecas em pilhas, acompanhadas de geleia, mel, ou manteiga (ou até mesmo pura, porque essa massa fica bem gostosa por si só) e bom apetite!

Atualização: estava vendo uns vídeos de receitas outro dia, e vi uma dica de não empilhar as panquecas enquanto está fazendo (isso, segundo o vídeo, deixaria as panquecas que ficam na base da pilha mais massudas). Fica a sugestão de empilhar apenas na hora de comer (porque é super divertido dar uma garfada cortando várias panquecas...)

lunes, 22 de diciembre de 2014

O que dá pra fazer: Romanesco assado

Esta é uma das receitas que dava pra fazer na minha época de moradia. Como outras tantas, ficou parada por aqui até agora (vontade de recolocar o blog funcionando eu até tenho - falta a disciplina).

:-)


Romanesco é um parente do brócolis e da couve flor que impressiona pela beleza: além da cor verde bastante vívida, o romanesco ainda tem uma estrutura fractal que você imagina que nem existe no mundo real.

O romanesco é bem agradável ao paladar: ele é mais macio que a couve flor e com o sabor menos forte que o brócolis - pra ser sincero, dá para comer até cru (sim, eu comi alguns pedaços antes de assar). Assim sendo, eu queria prepara esse romancesco da forma mais simples possível, destacando o gosto do próprio romanesco. Segui, então as instruções do MyRecipes.com, acrescentando o alho por conta própria.

Ingredientes:
1 Romanesco
2 colheres de sopa de azeite
alho (a gosto)
sal e pimenta (a gosto)

Preparo
Pré aqueça o forno.

Retire as folhas do romanesco e unte as 'flores' (não sei se é o termo adequado) com o azeite,
temperando com sal e pimenta a gosto.

Ajeite o romanesco em uma folha de papel alumínio (coloquei dentes de alho, ainda com a casca, por baixo para assar junto)

Leve ao forno médio até ele ficar macio (aproximadamente 20min).

Eu comi puro mesmo, mas pode ser usado como acompanhamento de massas, ou como uma entrada

E bom apetite.

Bebendo fora: café



I still miss the coffee shops....


Enquanto eu estava em Belfast, eu tive que responder algumas vezes a comentários do tipo "o café daqui não deve ter graça nenhuma pra um brasileiro".


Bom... tinha graça sim! E bastante...



Eu bebia litros de café por dia - e alguns deles inclusive feitos com grãos brasileiros - e pensava por que eu nunca encontrei cafés assim no Brasil?


Pode ser o ponto de torra comercializado por lá que me agradava mais, pode ser a importância que o 'cafezinho' tinha no dia a dia... ou pode até mesmo ser o troco a mais que eu gastava em cafés diferentes.



Com certeza não era o mito de "só no Brasil tem café forte (e no resto do mundo só tem café fraco)" - porque eu tomei uns cafés beeem fortes (e bons) por lá, assim como já tomei cafés fracos (e ruins) por aqui.