sábado, 19 de julio de 2014

O que dá pra fazer: Baked oysters with spicy chorizo

Estava com um amigo irlandês e um brasileiro tomando café no mercado.
O irlandês comentou sobre como gostava de chorizo e o brasileiro respondeu que não gostava.

Vendo que era uma falha de comunicação, interrompi os dois: vocês estão, provavelmente, falando de coisas diferentes. Você deve estar falando de uma linguiça espanhola à base de carne e ele vai entender isso como um tipo de linguiça apimentada; e você deve estar falando de uma linguiça à base de sangue, que ele vai entender como black pudding.

Nem é uma história tão interessante assim, mas serve de advertência com o falso cognato: para esta receita, eu usei do primeiro tipo de chorizo, à base de carne mesmo, optando por um defumadp e extra apimentado (nem era tão apimentado assim.... Mas o vendedor acreditava que era).

Fiz uma quantidade de recheio boa para cinco ostras grandes, mas quando abri a Gordona (a maior delas, que está no meio na primeira foto), não tive coragem de colocar qualquer coisa nela (mentira... Coloquei um ramo de orégano fresco). Com isso, acabei ficando com recheio demais para quatro ostras. Era fácil ter corrigido o problema: era só não ter usado todo o recheio, deixando sobrar mesmo, mas eu não me segurei. Recomendo, na hora de reproduzir esta receita, não colocar recheio demais nas ostras (não que fique ruim, mas fica mais legal quando tem mais ostra que chorizo).

Uma das partes mais difíceis em comer ostras é abrir as conchas. Pra quem tem prática, é um pulo. Pra quem não tem, o risco de se cortar é alto. Quando elas vão ao forno, no entanto, elas se abrem sozinhas (não da forma como estão na primeira foto - isso foi obra minha mesmo). Então, não precisa ter medo de "como vou fazer pra abrir as conchas?".

Ingredientes
5 ostras frescas grandes
Sal grosso (bastante... Embora você não vá comer nada dele)

Alho poró (um dedo, aproximadamente - dá pra ver a quantidade na segunda foto)
Meio gomo de chorizo
Cinco tomates cereja

Preparo
Pique o alho poró em tiras. Retire a película do chorizo e desmanche-o, em pedaços pequenos.

Leve o alho e o chorizo ao fogo, mexendo bem para não queimar o fundo da panela.

Não usei manteiga ou qualquer tipo de óleo porque o chorizo já tem gordura. Caso queira usar alguma gordura extra para dourar mais (e dar menos trabalho de mexer constantemente), sugiro usar uma colher de manteiga para dourar o alho com o chorizo.

Quando o alho e o chorizo tiverem cozinhado/amolecido, acrescente os tomates, partidos ao meio e continue mexendo (até os tomates amolecerem e ser incorporarem à mistura).

Desligue o fogo e reserve.

Em uma vasilha que pode ir ao forno, faça uma cama de sal grosso e ajeite as ostras (com o lado mais plano virado para cima).

O objetivo do sal é simplesmente estabilizar as ostras para que elas não fiquem virando (como eu disse antes, o sal não vai ser consumido).
Leve as ostras ao forno pré-aquecido até que elas se abram. Como eu disse antes, elas só se abrem levemente (quem acabou de fazer o serviço e abriu o resto fui eu). Na foto à esquerda, dá pra ver as ostras levemente abertas depois de irem ao forno (aliás, no forno daqui do dormitório, foram mais ou menos 12min pras ostras estarem abertas).

Acabe de abrir as ostras (neste ponto, é fácil - não precisa ter medo... Só tome cuidado para não se queimar).

Passe uma faca fina embaixo da ostra (tem uma parte dela que costuma estar presa à concha).

Coloque uma colher do recheio sobre a ostra (de novo, coloque menos do que eu coloquei nessas fotos) e sirva imediatamente.

Caso goste, sirva com fatias de limão.

E bom apetite.