sábado, 31 de mayo de 2014

Comendo fora: devil's food cake

 Já tem um bom tempo {mais de um ano, embora eu não saiba dizer exatamente quanto), que eu resolvi controlar a quantidade de doces que eu como.


Inicialmente, meu controle foi apenas "comer doces só nos fins de semana".

No começo foi difícil (com situações de eu vigiando o relógio às 23h59 de sexta, com um pacote de biscoitos do lado), mas depois de pouco tempo, eu estava mais tranquilo - hoje em dia, eu inclusive passo mal se tento comer tanto doce quanto eu comia antes de começar esse controle.

Ao vir pra Belfast, resolvi ser mais rígido: cinco doces por fim de semana e só (tá... Teve alguns fins de semana em que eu estourei o limite, mas, no geral, to cumprindo a meta).

O motivo? É muito fácil viver à base de porcarias por aqui.

Embora o governo faça várias campanhas "eat healthy", quem recebe subsídios para produzir alimentos são os produtores de milho, amendoim, carne e afins. E o resultado disso: com o mesmo dinheiro que você consegue comprar um pacote de 300g de MMs de amendoim, você compra cinco maçãs (cinco unidades, não cinco quilos - pra ser bem claro).

Já que eu estou me limitando a cinco doces, esses cinco têm que valer a pena, né?

É o caso do devil's food cake. É um bolo de chocolate, em camadas recheadas com chocolate e calda de chocolate - e uma porção de sorvete.

Nunca fiz a receita, mas deixo esta da Nigella de sugestão (no link, está uma receita em inglês, mas procurando no google por " receita de devils food cake da Nigella", dá pra encontrar vários resultados).

Bom fim de semana e, se forem testar a receita, me contem como ficou.

miércoles, 21 de mayo de 2014

O que dá pra fazer: Risoto de roquefort com pêra

Uma das coisas (às vezes chatas) dessa vida de moradia é comprar um ingrediente e ter que repetir o prato várias vezes.

Eu gosto de risoto, não acho difícil fazer (ainda mais dentro das possibilidades que tenho), mas comprar um pacote de 500g de arroz arbóreo rende várias receitas (ainda bem que dá pra variar nas combinações e que o arroz não estraga rápido - logo, dá pra tentar espaçar o tempo entre um risoto e outro).

Quanto ao preparo, receita de risoto costuma ter um roteiro padrão - que só fica complicado dependendo dos ingredientes que você usa.

Como o meu risoto era simples, o preparo foi mais tranquilo:

Você doura o arroz arbóreo (faz toda diferença ser arbóreo) na manteiga, mexendo bem para dourar todos os grãos.

Aos poucos (bem devagar), você vai colocando água quente (não fervente), sempre mexendo para o amido se desenvolver bem.

Quando o arroz estiver cozido (é importante ele ainda ter caldo - que deve estar bem grossinho por cauda do amido do arroz), você diminui o fogo, acrescenta o queijo, as pêras e suco de limão.

Sirva quente, com ervas (no meu caso, salsinha) e bom apetite!!

:)

PS: um tempo atrás eu falei, mas não custa repetir: como eu estou com uma cozinha compartilhada (e com limitações), não tenho condições de ficar tirando fotos de cada etapa do preparo, nem de ficar registrando quantidades exatas. Aí os posts acabam ficando com mais cara de idéias de comida do que de receita mesmo... Foi mal aê...

lunes, 19 de mayo de 2014

Comendo fora: fish and chips

De 'morrendo de fome' a 'passando mal de tanto comer' em metade do prato.

Essa foi minha experiência com os famosos fish and chips.

Teve também o fato de eu ter atravessado a cidade (mentira, foi só 1,5 km) atrás de um restaurante específico, para chegar lá e ele estar fechado... Pior: fechando (cheguei a tempo de ver os funcionários saindo)... Pior: acabar voltando para um restaurante quase do lado de casa para comer (pelo menos o restaurante quase do lado de casa é bom). 

sábado, 3 de mayo de 2014

Fazendo a fila andar: Bobó de camarão

Esta receita já está na fila há alguns meses.

Pra falar a verdade, acontece muito: eu preparo o prato, chego a escrever o post, mas deixo para finalizar algum detalhe depois e a receita vai ficando parada.

Então, só pra manter o blog funcionando, lá vai do jeito que estava quando eu disse "depois eu finalizo".

A receita original é do Comidasebebidas.uol.com.br - e eu só ajustei as quantidades dos ingredientes (por isso, reproduzo a receita deles aqui).

Ingredientes

800 grama(s) de camarões
60 grama(s) de camarões secos
400 grama(s) de mandioca
1/2 cebola picada
1/2 pimentão verde
1/2 pimentão vermelho
1/2 pimentão amarelo
1/2 cabeça de alho descascada
4 colher(es) de sopa de azeite extravirgem
200 grama(s) de tomate sem pele e sem sementes
1/2 colher(es) de sopa de coentro picado
sal, pimenta e ervas a gosto
1 lata(s) de leite de coco
3 colher(es) de sopa de óleo de dendê

Modo de preparo
Descasque os camarões e reserve. Faça um caldo aromático com as cascas, cabeças e camarões secos.

Descasque a mandioca, retire a fibra e cozinhe no caldo.

Bata a mandioca, juntando um pouco de caldo de camarão até ficar uma textura cremosa (aproximadamente uma xícara de caldo por quilo de mandioca). Reserve.

Em uma panela, refogue a cebola, pimentões e alho com o azeite.

Acrescente o tomate e refogue bem de 5 a 8 minutos.

Acrescente os camarões e o coentro. Tempere com sal e pimenta.

Cozinhe por mais cinco minutos os camarões e adicione a mandioca, o leite de coco e o óleo de dendê.


Siga cozinhando, mexendo sempre até que levante fervura e fique cremoso.

Se necessário, junte um pouco mais de caldo (ou leite de coco, a gosto) até atingir a consistência desejada.

Ajuste os temperos e sirva bem quente com arroz branco e farofa caseira.

E bom apetite!