martes, 18 de marzo de 2014

Salteña

A primeira vez que eu experimentei uma salteña foi em fevereiro, em uma cantina de Florianópolis:

(eu) - Moça, ontem de manhã, enquanto eu esperava meu cappuccino, veio um moço aqui, pediu coisa e ficou revoltado que não tinha. Acho que ouvi ele falando 'Saldanha'.
(moça da cantina) - Saltenha! É tipo um pastel assado, mas com massa mais fina. É de origem espanhola e o daqui é um dos melhores da cidade.
- E hoje tem?
- Tem sim


No dia seguinte, olhando o cardápio de um café, ainda em Florianópolis:
(eu) - Olha, Ana, aqui também tem daquela salteña que eu te falei.
(Ana) - Sabe que, nesse tempo em Floripa, eu nunca tinha reparado nisso?
Ouvindo a conversa, a garçonete argentina se aproxima e começa a explicar: É tipo uma empanada, mas com massa mais fina. É de origem argentina e é muito gostoso. Querem experimentar?

Para aumentar a confusão geográfica, quando fui estudar um pouco sobre salteña (Wikipedia.org, Tudogostoso.com.brSaltenha - MSTV) vi que é uma receita originária da Bolívia.

Minha conclusão: é uma receita de um país de língua espanhola. A massa realmente é muito gostosa e fina (eu diria até amanteigada) e as possibilidades de recheio são diversas: em Floripa, eu vi de 1) Chester com alho poró, 2) carne agridoce com pimenta, 3) camarão e 4) tomate seco com ricota; como a massa rende bastante, aqui em casa, fiz de berinjela, frango e geleia de pimenta.

Segui a receita do Saltenha - MSTV (vídeo). Já ressalto que a diferença entre a massa que eu fiz e as que eu vi (e comi) é que usei farinha integral: a minha massa não ficou com a cor e a textura exatas das que eu conhecia (mas isso já era esperado quando eu optei pela farinha integral).


Ingredientes
800g de farinha de trigo
200g de manteiga
1 ovo
1 colher (sopa) colorau
1 colher (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) de sal
água morna

Preparo
Misture os ingredientes secos (farinha, açúcar e sal).

Derreta a manteiga e dissolva o colorau e acrescente à massa (formando como se fosse uma farofa).

Acrescente o ovo e misture à massa.


Acrescente a água morna (aos poucos), até conseguir uma massa homogênea, que se solta facilmente das mãos.

Deixe a massa descansar por meia hora antes de começar a abrir.

A massa é bem fácil de trabalhar e não foi necessário enfarinhar a superfície para abri-la com um rolo.

Corte a massa com um cortador (ou copo, ou xícara, ou forma) e recheie (deixo o recheio a gosto - a sugestão do MSTV é de frango com batatas.

Asse, em forno médio, por aproximadamente 40min. (ou até ficarem levemente douradas por cima).

Se, como eu, você optar por fazer salteñas de recheios diferentes, lembre-se de fazer dobras diferentes com a massa (para que fique fácil identificar qual é de que quando ela estiver assada).

Pelo que li, na Bolívia é um salgado que se come no café da manhã. Aqui em casa, comi no jantar (e nos lanches também).

Independente de quando você for comer: bom apetite!
:)

domingo, 9 de marzo de 2014

Chocolate Crème Fraîche Cake

Mais uma daquelas receitas que surgem aparecem com "hum... você podia fazer esse bolo aí, oh".

A receita original é do Hummingbirdhigh.com, que define este Chocolate Crème Fraîche Cake como o melhor bolo de chocolate de todos os tempos.

Após testar, eu tenho que dizer que gostei bastante dessa massa, mas não empolguei tanto com a cobertura.

A massa fica com gosto marcado de chocolate amargo (por causa do café e do cacau em pó) e não fica muito doce - do jeito que eu gosto. Já a cobertura sugerida pelo site, eu achei muito doce/forte. 

Inicialmente, eu tinha pensado em fazer uma cobertura de coco e leite condensado, mas quando o bolo começou a assar, e o cheiro de café com chocolate amargo começou a tomar conta da casa, eu achei que os sabores ficariam conflitantes e acabei fazendo a cobertura sugerida pelo site mesmo.

No fim das contas, acho que deveria ter seguido a minha ideia inicial: uma cobertura branca, com doce moderado, daria um contraste mais marcado para a massa.

De qualquer forma, recomendo tanto o bolo quanto a cobertura (só sugiro usar a cobertura com mais moderação - bastante moderação).
XD


Ingredientes

Crème Fraîche

1 lata de creme de leite (sem o soro)
200ml de iogurte desnatado

Bolo

250g de farinha de trigo
200g de açúcar
200g de cacau em pó
2 colheres (sopa) de fermento químico
pitada de sal
crème fraîche
50g de manteiga (em temperatura ambiente)
2 ovos
essência de baunilha
1 xícara de café forte (ainda quente)

Cobertura

300g de chocolate (ao leite ou meio amargo)
crème fraiche
2 colheres (sopa) de glucose de milho
25g de manteiga (sem sal)
uma pitada de pimenta do reino (ralada na hora)

Preparo

Para o Crème Fraîche

A receita original pede Crème Fraîche - que, nas partes que eu conheço do país, é um ingrediente caro e difícil de achar para comprar (na verdade, é mais difícil de achar para comprar, que caro).

Creme de leite sem soro e iogurte
Para contornar a falta de crème fraîche, sugiro começar a preparar esta receita no dia anterior (uma sugestão de receita de crème fraîche é esta do Joyofbaking.com).

Mistura de creme de leite e iogurte
Coloque o creme de leite para gelar. Quando estiver gelado, retire o soro. Misture um copo (200ml) de iogurte, cubra e deixe em temperatura ambiente por 24h (se quiser, pode mexer o creme a cada 8h e voltar a tampar).
Mistura de creme de leite, coberta,
deixada em temperatura ambiente para
fermentar

O creme de leite deverá fermentar (com o iogurte), criando um creme espesso e com gosto levemente levemente ácido (sabor de leite fermentado, sem ser gosto ruim de azedo).

Crème Fraîche, já fermentado
Guarde esse creme na geladeira (como eu acabei me enrolando para fazer o bolo, meu creme ficou na geladeira por três dias e ainda estava bom - segundo o Joyofbaking.com, ele poderia durar até 7-10 dias na geladeira).



Para o bolo de chocolate

Comece untando e enfarinhando a forma e pré-aquecendo o forno.
Ingredientes secos

Ingredientes secos misturados
Misture os ingredientes secos: a farinha, o açúcar, o cacau e o sal (a receita original diz para misturar também o fermento químico nesta hora - preferi deixar para misturar no fim).



Ingredientes úmidos



Separadamente, misture gentilmente metade do crème fraîche, os ovos e a essência de baunilha.



Parte seca e parte úmida combinadas


Acrescente essa mistura úmida aos ingredientes secos e, por fim, acrescente o café quente.

Acrescentando o café



Mexa gentilmente até a mistura ficar homogênea (mexa sem parar).
Após acrescentar o café







Acrescentando o fermento quimico



Por último, acrescente o fermento em pó (químico). Sugiro misturar o fermento em um canto da massa e, quando ele estiver dissolvido, misturar essa porção de massa no restante. Mexa delicadamente e não misture excessivamente.

 A massa fica bastante líquida, mas isso já estava previsto na receita original (aqui) e, segundo eles é normal.


Despeje a massa na forma (vale a pena dar uma batida leve com a forma sobre uma superfície para a massa ficar distribuída de forma homogênea).



Leve ao forno pré-aquecido por 35-40min, até que o bolo passe no teste do palito (ao espetar um palito no bolo, ele sai limpo) e a superfície tenha uma textura esponjosa quando tocada com o dedo.

Retire o bolo do forno e deixe esfriar por, aproximadamente, 30min.

Caso decida confeitar, deixe o bolo esfriar completamente.

A receita original dividia a massa em duas formas (para fazer um bolo em camadas) - eu sou muito preguiçoso pra isso e fiz uma camada única.

Para a cobertura


Derreta os 300g de chocolate (ou os quase 300g, se você também roubar uns pedaços, como eu).

Misture a manteiga sem sal.

E a metade que sobrou do crème fraîche (misture aos poucos para a cobertura ficar bem lisa e homogênea).

Por último, acrescente a glucose de milho e a pimenta do reino.

A pimenta é totalmente opcional e não consta da receita, mas eu quis acrescentar por minha conta porque acho que combina bem com o chocolate (se quiser substituir a pimenta do reino por pimenta síria, também acho uma boa combinação).

Após misturar até obter uma cobertura lisa e homogênea, despeje-a sobre o bolo. Eu não tenho talento para confeitar, então simplesmente espalhei a cobertura por cima do bolo, deixando que ela caísse naturalmente nas laterais.

A receita original ainda sugere acrescentar 0,25 xícara de half-and-half (que é uma mistura de creme e leite). Como não tem essa mistura industrializada por aqui, como eu já estava satisfeito com a consistência da cobertura, deixei sem nada no lugar mesmo.













Depois, leve à geladeira, deixe gelar até (aproximadamente min.) e bom apetite!!

Fonte: Hummingbirdhigh.com



viernes, 7 de marzo de 2014

Chimichanga de espinafre e queijo comté

Se você está em Florianópolis, tem uma feirinha orgânica na Lagoa da Conceição (aos sábados) e nessa feirinha, tem uma moça que vende queijos feitos com técnica francesa (tem queijo comté, camembert e vários outros que eu nem vou lembrar o nome - mas super recomendo).

Tive que ir a Floripa recentemente e trouxe de lá alguns desses queijos comigo.

Um pedaço do comté (não todo) eu quis usar nessas chimichangas porque sim (mas, se você não tiver comté perto de você, dá pra substituir por outro queijo macio e não muito salgado - bom, a minha ideia era complementar o sabor do espinafre com o queijo, sem que um ofuscasse o outro).

Já as chimichangas são um prato Tex-Mex - basicamente, é um burrito frito, mas que eu optei por não fazer em fritura por imersão (como sempre). E eu optei por fazer chimichanga só porque era rápido mesmo e eu já tinha todos os ingredientes em casa.

Ingredientes:
0,5 cebola (cortada em cubos pequenos)
1 moho de espinafre (cortado em tiras pequenas)
sal, pimenta e outros temperos (a gosto)
queijo (no meu caso, comté) picado em cubos
manteiga
tortillas / pães-folha / wrap (é uma massa fácil de fazer em casa e tudo mais, mas se você está atrás de praticidade, tem uma massa de wrap industrializada que é fácil de achar nas seções de pão dos supermercados)

Preparo
Leve a cebola picada ao fogo e mexa até ela começar a ficar translúcida (não precisa deixar caramelar).

Acrescente o espinafre e deixe cozinhar (até que o espinafre reduza - não precisa acrescentar água, basta esperar o espinafre murchar). Quando o espinafre já tiver reduzido, acrescente sal e pimenta a gosto.



Em uma frigideira, aqueça brevemente os pães-folha (ou tortillas de farinha).

Não precisa deixar dourar (essas pontinhas tostadas na foto à direita já vieram de fábrica), basta aquecer o suficiente para a massa ficar flexível (se você tentar fazer com a massa fria, muito provavelmente ela vai quebrar na hora de dobrar).



Recheie o pão folha com o espinafre (já cozido) e alguns cubos de queijo. Centralize o recheio e não coloque demais porque você vai ter que dobrar a massa.

Dobre a massa, formando um envelope e reserve.

Se quiser, pode passar água ou clara de ovo nas dobras da massa para ela grudar melhor (mas eu confesso que pulei essa etapa).

Aqueça uma frigideira antiaderente, coloque um pouco de manteiga (pode ser bem menos do que eu usei nessa foto à esquerda) e deixe a chimichanga fritar levemente dos dois lados.




Ajeite as chimichangas em uma assadeira e leve ao forno alto por, aproximadamente, 10min (ou até elas ficarem douradas e crocantes).

Sirva ainda quentes e, se tiver mais habilidade que eu, faça elas com dobras mais bonitinhas.

XD

E bom apetite!