lunes, 26 de agosto de 2013

Pizza alta de domingo: almôndegas com chimichurri


Na tradição de fim de semana (posts anteriores aqui, aqui e aqui), de pizza alta aos domingos, desta vez aproveitando a ideia de almôndegas com chimichurri do Mosaicodereceitas.com.

A massa é a mesma de sempre, mais uma vez usando do meu fermento biológico caseiro:

Ingredientes
400g de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de fermento biológico caseiro (ou 1 envelope (10g) de fermento biológico industrializado)
4 colheres (sopa) de açúcar
1 colher (sopa) de azeite
0,5-1 colher (sopa) de sal
orégano (a gosto)
água morna

E o preparo também é o mesmo de sempre:
Antes do segundo crescimento
Depois do segundo crescimento
Misturar todos os ingredientes secos (farinha de trigo, fermento, açúcar, sal e orégano), em seguida, acrescentar o azeite e a água morna aos poucos (tem que ser aos poucos porque não há uma medida exata de água - a quantidade de água depende da qualidade da farinha), até a massa estar homogênea e lisa, soltando das mãos com facilidade.

Deixar a massa crescer até dobrar de tamanho. Polvilhar farinha sobre uma superfície lisa, colocar a massa sobre a farinha e polvilhar farinha sobre a massa. Com um rolo (também polvilhado com farinha), abrir a massa até ela ficar com, aproximadamente, 1 dedo de altura. Ajeitar a massa na forma e deixar descansar por, aproximadamente, 30min (esse tempo de crescimento podem variar, dependendo da temperatura ambiente. Caso esteja mais frio na cidade em que você mora, talvez seja necessário esperar mais).


Ingredientes para as Almôndegas
300g de carne moída
1 ovo
4 colheres (sopa) de creme de cebola
Chimichurri, cebolinha, pimenta, sal e outros temperos (a gosto)

Preparo
Misture todos os ingredientes (carne, ovo, creme de cebola e temperos) até conseguir uma massa homogênea (tanto quanto possível).

Forme bolinhas de carne, ajeite-as em uma forma e leve para assar em forno alto, já pré-aquecido, até elas ficarem levemente douradas por fora (a ideia de levar ao forno pré-aquecido é justamente fazer com que elas dourem por fora, sem ficarem secas por dentro).


Cubra a massa com molho de tomate (tradicional), ajeite as almôndegas e cubra com queijo (no meu caso, usei daquelas bolinhas de mussarela. Ficou gostoso, mas recomendo fatias de queijo normais para cobrir as almôndegas e evitar que elas ressequem quando voltarem ao forno).

Leve a pizza ao forno médio por, aproximadamente, 25min.

E bom apetite!

sábado, 17 de agosto de 2013

À mesa

Passei para a Ângela um pouco do Ferguson (como eu já disse em outras receitas - aqui, por exemplo -, apelidei de Ferguson o meu fermento biológico caseiro e sempre incentivo todo mundo que posso, dando um filhote dele) e ela fez este pão italiano e me mandou as fotos!!

Na ocasião, também aproveitei para passar esta receita de pão italiano para ela e ela me mandou as fotos do resultado!

Brigadão pelas fotos e mande mais sempre que quiser!!

XD




viernes, 16 de agosto de 2013

Ceviche

O prato é repetido (já tinha postado aqui), mas, de vez em quando, vale a pena revisitar as receitas de que a gente gosta.

Para este ceviche, foram utilizados:
400g de salmão (cortado em tiras finas)
400g de linguado (também cortado em tiras finas)
suco de 5 limões
suco de 1 tangerina
raspas da casca da tangerina
1 cebola roxa (média) cortada (finamente) em meia lua
sal, azeite, salsinha (picadas finamente) e outros temperos (a gosto)

Preparo:
Misture os temperos (suco de limão, sal, azeite, cebola, salsinha, etc.) e coloque o peixe (fatiado) para marinar. Idealmente, deixe o peixe de um dia para o outro na geladeira. A acidez dos sucos fará com que o peixe cozinhe quimicamente (repare que a cor do peixe, nas fotos, é diferente da cor de um peixe cru).

Na hora de servir, retire o excesso de caldo e sirva ainda gelado (se quiser, acompanhado de uma salada). Tradicionalmente, ceviche é servido em taças como uma entrada.

E bom apetite!

domingo, 11 de agosto de 2013

A red hot chilli pepper (parte II)

Este post sai hoje como homenagem pro meu pai (que é um grande fã de pimenta) e pro meu avô (que gostava muito de cuidar de plantas em casa).

Já faz algumas semanas que comi a Ghost Pepper (a que eu tinha comprado e falado em um post anterior - aqui) e tenho que dizer: nem foi tão traumático assim... Claro: eu tomei precauções!

Para comer a Ghost Pepper, eu fiz uma costelinha assada (sem fotos), acompanhada de geleia de abacaxi (também caseira).

Em uma porção dessa geleia, eu misturei a Ghost Pepper (mas só a polpa: retirei as sementes).

Sem as sementes e misturada com a geleia, dá para comer a Ghost Pepper sem traumas (até para quem não tem costume de comer pimenta).

Já a semente arde (e bastante, viu?): Passei o dedo em uma semente e lambi o dedo (sem a semente)... e minha língua começou a ficar dormente. Além disso, também tive que lavar a mão várias vezes, porque minha mão ficou com gosto picante por algum tempo depois... (não ardeu, nem machucou, nem queimou, nem nada, mas ficou com gosto picante).

E, depois da receita, as sementes foram para a terra e estão crescendo.

Só para terminar: feliz dia dos pais!