domingo, 30 de diciembre de 2012

Clafoutis de cereja

Já tinha tempo que eu tinha visto esta receita de Claroutis lá no Tentacoesobreamesa (também tem no Gulosoesaudavel.com.br e no foodwishes) e estava com vontade de fazer. Nesta semana, apareceram cerejas bonitas (e relativamente baratas) no supermercado e resolvi tentar.

Recomendação que faço: a receita pede 350g de cerejas.... compre mais do que isso! (elas somem misteriosamente quando chegam em casa. Deve ser algum plano secreto de fuga das cerejas...).

Além disso, a massa fica bem líquida antes de ir assar mesmo (pode dar um pouco de receio na hora de levar ao forno), mas funciona: depois de assar, a massa fica com textura parecida com a de um pudim.

Também tinha pensado em usar um pouco de vinho branco na hora de cozinhar as cerejas, mas esqueci (fica para a próxima).

O texto básico deste post é o mesmo do  Tentacoesobreamesa (assim como a receita) - para dar créditos.

Ingredientes:
350 g de cerejas descaroçadas;
65 g de farinha;
2 ovos grandes;
180 ml de leite;
2+1 colheres de sopa de açúcar;
1/2 colher de café de aroma de baunilha;
1 colher de sopa de manteiga;
1 pitada de sal

Preparo:
Retire o caroço das cerejas e leve-as ao fogo brando com a manteiga, a pitada de sal e o açúcar (2 colheres - podendo usar mais, se as cerejas não estivem muito doces) por 3 a 5min. Deixe cozinhar até se forme uma calda. Retire as cerejas do fogo e reserve-as.



Depois que as cerejas esfriarem um pouco, unte uma forma com manteiga  e distribua as cerejas nessa forma.

Nessa hora, fiquei com dúvida se despejava a cereja da forma como estava ou se retirava a maior parte da calda (optei por retirar a maior parte da calda e reservar para comer na hora de servir).

Bata os demais ingredientes (farinha, ovos, essência de baunilha, leite e uma colher de açúcar) e despeje a mistura sobre as cerejas.

Leve ao forno alto, pré aquecido até a massa endurecer e dourar por cima (aqui em casa, foram aproximadamente 35min).

Sirva morno e bom apetite!



Ahh.... e Feliz Ano Novo também!

XD

miércoles, 26 de diciembre de 2012

Hambúrguer de ponta de faca

 Tudo começou com uma amiga dizendo "e agora o que eu faço com esse monte de filé?". Dei algumas sugestões e, entre elas, a aprovada foi esse hambúrguer de ponta de faca.

Basicamente, consiste de um hambúrguer em que a carne é cortada e não moída. Já tinha feito essa receita em BH e gastei horas (literalmente) preparando a carne. Agora tenho facas de cerâmica e em alguns minutos estava tudo cortado. Dica importante, então: use facas afiadas.

Eu sei que essa primeira foto do post não ficou das melhores, mas no meio de muita gente, passando hambúrguer, comendo e conversando, acabei não montando o melhor dos sanduíches para foto.

Ingredientes
filé mignon (8 bifes) - o ideal, na verdade, é um corte com um teor médio de gordura (sugiro fraldinha ou contra-filé, mas, como eu já disse, tínhamos filé sobrando)
90g de creme de cebola em pó
2 ovos
cebolinha e outros temperos (a gosto)

Preparo
A ideia desse hambúrguer é que ao usar carne cortada (e não moída), você consegue fazer com que a carne perca menos líquido na hora de ir para a chapa. Ainda assim, tem o problema de não poder ser muito grande (ou em tiras) ou o hambúrguer vai ficar puxando na hora de morder.

Não vou ter a pretensão de tentar definir um tamanho ideal, mas tente cortar cubos pequenos e evitar tiras de carne.

Após cortar a carne, a mistura para temperar e dar liga: no meu caso, apenas ovos, creme de cebola e cebolinha (alho também fica bom). Misture todos os ingredientes, cubra com papel filme e deixe descansar (eu deixei descansar enquanto assava os pães - se estiver usando pães prontos, espere uns 15min).

É bastante tradicional, neste ponto da mistura de ingredientes, as pessoas usarem miolo de pão ou farinha de rosca (eu não curto o gosto que essa mistura deixa e acho desnecessário para dar liga - prefiro ficar só no creme de cebola mesmo).

Após deixar a carne descansar, molde os hambúrgueres. O tamanho você faz adequado ao tamanho do seu pão; a altura você faz a gosto: se preferir carne mal passada, faça um pouco mais alta.
Como o filé é uma carne mais magra, usei um pouco de manteiga na hora de passar os hambúrgueres (e também uma frigideira anti-aderente, bem quente).

Para a carne não desmontar (além de usar a frigideira bem quente) é não ficar virando a carne demais (o que também ajuda para conseguir um ponto mais mal passado - que era o que eu queria). Ajeite os hambúrgueres na frigideira, deixe um dos lados selar bem (sem queimar, claro) e só então vire-os.

Para um ponto mal passado, basta selar dos dois lados (deixando dourar) e servir.

Para quem gosta de carne mais passada, vire o hambúrguer algumas vezes (depois que já tiver selado dos dois lados, ele provavelmente não vai desmontar).
Para servir, alguns pães (normais e de cebola) feitos na hora e saladas e queijos e molhos e acompanhamentos a vontade (para cada um fazer o seu).

Boa farra, bom hambúrguer, bom apetite e bom fim de ano (e ano novo)!

Só pra terminar: continuo correndo, continuo cheio de texto para entregar e coisa pra fazer. Continuo cozinhando também, mas o tempo para fazer posts tá complicado... um dia eu volto ao normal (espero).

viernes, 14 de diciembre de 2012

Gingerbread house

Não tenho (acho que nunca tive) habilidade para trabalhos artísticos e coisas bonitinhas... mas vi o vídeo desta gingerbread house e resolvi testar para ver se qualquer um conseguiria fazer (e se eu consigo, realmente é porque QUALQUER um consegue).

Minha casinha não ficou muito grande (até porque fiz meia receita) e ficou toda torta e desajeitada... ainda assim, cheia de gengibre e amor (mentira, era canela mesmo).



Ingredientes:
6 xícaras de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento químico
0,5 colher (chá) de bicarbonato de sódio
2 xícaras de manteiga (usei 2 colheres de sopa... lembrando que fiz meia receita)
1 xícara de açúcar mascavo
4 colheres (chá) de gengibre em pó (usei ralado)
4 colheres (chá) de canela
1,5 colher (sopa) de sal
2 ovos
1,5 xícara de melado (usei mel)

Preparo
O preparo é bastante simples: misturar bem todos os ingredientes, deixar a massa descansar na geladeira, moldar a casinha e assar.

Aí vamos por partes: a parte de deixar a massa na geladeira é importante: fica bem mais fácil malear essa massa quando gelada.

O vídeo diz para abrir a massa, com um rolo, em uma superfície enfarinhada. Tentei a superfície enfarinhada e não tive muito sucesso... funcionou (bem) melhor usando plásticos.

Massa recortada antes de assar
O vídeo diz use um molde de papel para cortar a massa antes de assar. Tentei. Até funcionou, mas a massa não assou exatamente da forma como eu tinha cortado: alguns pedaços ficaram arredondados, alguns cresceram de forma desigual...

 Massa re-recortada depois de assar 
No fim das contas, tive que re-recortar toda a massa depois que tudo estava assado e fiquei pensando se não seria mais prático assar uma grande forma reta e, depois de assado, cortar tudo de uma vez só.

Colando as partes
Por último, o vídeo fala para colar as partes da massa usando claras batidas em neve, misturadas com um pouco de açúcar: isso funciona.

Casinha pronta: toda torta e disforme,
mas cheia de gengibre e canela
Mas, assim como acontece no vídeo, provavelmente você também vai precisar de alguém que te dê uma mão e segure as paredes da casa enquanto você monta a estrutura básica.

Antes de assar


E, por último, para quem não tem paciência de tentar montar uma casa, vale o bom e velho formato de cookie mesmo:
Depois de assar

E bom apetite!