jueves, 3 de mayo de 2012

O risoto que não faço (quase nunca)

Este risoto tem uma história tragi-cômica - que talvez eu até já tenha contado aqui.
Eu quase nunca faço grandes quantidades de comida. Normalmente, prefiro fazer porções menores para não ficar a semana inteira comendo a mesma coisa (e, como não me incomoda cozinhar todo dia, ou quase todo dia, não vejo problema algum em fazer porções menores).

Uma das poucas vezes que quebrei esta regra foi com este risoto: Anos atrás, eu ainda morava em BH, mas já não morava mais na casa dos meus pais. Eu ficava bastante tempo fora de casa e frequentemente eu tinha que comer na rua.

Mas um dia, me deu vontade de fazer um risoto de alho poró com gorgonzola. Fiz uma porção enorme e, sinceramente, foi um dos mais gostosos que fiz em toda a vida.

Acontece que no dia seguinte ao que eu fiz o risoto, a faxineira foi limpar a casa. Como sempre, eu deixava a geladeira liberada e também deixava dinheiro para ela comprar marmita (caso ela não empolgasse com o que tinha na geladeira).

Fim da tarde. Volto do trabalho para casa. Faminto. Eu poderia comer alguma coisa antes de voltar para casa, mas eu sabia que lá estava meu risoto. Preferi ficar com fome e me empanturrar de risoto de alho poró e gorgonzola.

Chego em casa. Olho o correio, bebo água, deixo as coisas nos seus lugares, troco de roupa e vou para a geladeira. Mas a geladeira estava vazia. No meio do monte de coisas que eu estava fazendo e pensando, apenas estranhei, sem saber exatamente o que estava errado naquela geladeira.

Fecho a porta da geladeira, vou para a sala, ligo a tv e minha mente começa a funcionar "o que está errado naquela geladeira vazia?".... minutos de reflexão....... "cadê meu risoto?"

Reabro a geladeira, olho em todas as prateleiras, gavetas, garrafas, suporte de ovos, freezer e nada do risoto. "Será que a moça comeu todo aquele risoto?", pensei.

E, quando fecho a geladeira, vejo pregado na porta um bilhetinho "Joguei o arroz fora. Estava mofado".

E o pior de tudo (de tudo mesmo) é que eu nunca consegui deixar de pensar na moça, jogando meu risoto fora e dizendo "casa de homem é assim.... aposto que esta panela está na geladeira desde antes do natal e nem pra olhar se ainda está bom".

Essa história já tem mais de 3 anos. E só agora eu tomei coragem de refazer o arroz mofado.

Ingredientes:
250g de arroz
2-3 colheres (sopa) de manteiga
150-200ml de vinho branco
alho poró cortado em rodelas (a gosto. usei, aproximadamente, 3 dedos)
queijo gorgonzola (a gosto. usei, aproximadamente, 2 colheres de sopa)
caldo de legumes (em ponto de ebulição - sem estar fervendo)

Preparo




Derreta a manteiga e frite bem todos os grãos de arroz.









Quando o arroz estiver bem frito, acrescente o alho poró, já cortado (e devidamente higienizado)  em rodelas (use apenas a parte mais clara do alho poró).

Quando o alho já estiver misturado, acrescente o vinho, aos poucos, mexendo bem.

 Em seguida, acrescente o caldo de legumes, mexendo bem para que o arroz solte seu amido natural (o que vai dar a cremosidade ao risoto).

Por último, acrescente o queijo gorgonzola e mexa bem (para que ele derreta e se espalhe por igual no arroz).

Repare que não usei sal nesta receita (ela foi salgada com o caldo de legumes e o queijo gorgonzola). Recomendo provar o sal antes de servir.

Recomendo também usar um arroz próprio para risoto (repare nas primeiras fotos que é um arroz mais gordinho que aquele que a gente come no dia a dia). Parece bobeira, mas a diferença na textura final é bem marcante.

Não recomendo um vinho branco doce para o risoto (na verdade, não recomendo vinho branco doce nunca.... especialmente para o risoto).

Risoto significa sopa enxuta (to copiando isso da embalagem do arroz), uma alusão à cremosidade vinda do amido que liga os grãos do arroz no prato final. É esperado que ele fique com caldo e escorra no prato (e não fique empilhado como o arroz normal).

Sirva imediatamente. Se você deixar o arroz esfriar ou demorar muito tempo tirando fotos, ele vai absorvendo o caldo e não fica tão super legal.

Última dica: há quem goste de mantecare o risoto antes de servir (isso quer dizer: colocar mais uma dose de manteiga e, às vezes, queijo também). Bom, fica bom, fica lindo, fica brilhante no prato e, claro, fica beeeeem calórico.

E bom apetite... ah!! e não faça este arroz em véspera de faxineira!

5 comentarios:

Guloso e Saudável dijo...

Olá Daniel,
Comigo aconteceu semelhante, fomos fazer uma viagem de 15 dias e avisamos a faxineira que só precisa voltar no dia anterior, ao voltarmos procuramos meio queijo gorgonzola e tinha ido para o lixo por estar mofado e mal cheiroso... (chorar ou rir?)
O risoto por certo estava mesmo delicioso, está lindo.
Beijo,
Vânia

YES we Cooking dijo...

EU amo risoto de gorgonzola e faço sempre um de gorgonzola com pêra, adorei a idéia com alho-poró que nunca tentei. E essa história está ótima! Imagino a decepção ao abrir a geladeira rs
Beijos, Cecilia

www.amsk.org.br dijo...

Tenha fé que tudo dá-se um jeito. O drama por aqui sempre foi a qualhada caseira ... já perdi litros.

parece bom e com um vinho...perfeito.

bjs nossos

Larissa Banister dijo...

kkkkkkkkkkk achei super engracada a historia, tb achei ela bem direta hein, simplesmente pegou seu arroz e jogou fora kkkkkk Estou organizando uma blogagem coletiva de receitas, se vc tiver interesse em participar passa la no blog.

Beijos

www.larissatododia.com

Fernanda Soares dijo...

Lembro direitinho....
=)