lunes, 29 de agosto de 2011

Spaguetti ao molho de berinjela e azeitonas

Uma receita bem simples e rápida, boa para dias quentes (aproveitando que, ao contrário do que os Starks dizem: summer is coming).

Começo pelo molho, porque muita gente não tem dificuldades em fazer o macarrão.

Ingredientes para o molho:
1 berinjela grande
3-4 azeitonas verdes
5-6 azeitonas pretas
algumas folhas de rúcula (poucas: 2 ou 3 devem ser suficientes)
azeite
sal (moderação no sal, porque as azeitonas já costumam ter sal suficiente para temperar o molho)
outros temperos (como limão, manjericão, salsa, etc. a gosto)

Preparo:
Asse a berinjela em forno alto, até ela ficar macia.

Enquanto a berinjela assa, retire os caroços das azeitonas e misture azeite e a rúcula picada (bem fina).

Parta a berinjela ao meio em sentido transversal (ainda quente ou morna) e retire a polpa da casca com um garfo. 1. Se a berinjela estiver bem assada, a polpa se soltará da casca sem qualquer dificuldade. 2. Atenção, tanto na escolha da berinjela quanto na hora de retirar a polpa, para evitar bichos.

Rapidamente, misture essa polpa da berinjela à mistura de azeitonas com azeite (o azeite deverá diminuir a oxidação da berinjela. Também é possível acrescentar algumas gotas de limão para evitar que ela oxide)

Misture a berinjela com as azeitonas e o azeite utilizando um garfo e teste o sal.

Misture o molho à massa. Eu recomendo a combinação.



Para quem não tem costume de cozinhar massa (falando de massa industrializada):

O ideal é a proporção 100g de massa para 1 litro de água. Mas, sejamos sinceros, só em casa de avó costuma ter panela grande o suficiente para alguém seguir essa proporção (considerando, claro, que provavelmente você vai cozinhar mais de 100g de massa).

Ainda assim, use a maior panela que você tiver em casa e uma quantidade generosa de água. Eu sempre acrescento alguns dentes de alho à água de cozimento porque acho que faz toda a diferença. Normalmente, as pessoas também falam para acrescentar sal e óleo à água - eu acho desnecessário (basta mexer a massa, levemente, de tempos em tempos, tomando cuidado de evitar que os fios grudem).

Ponto de cozimento.
O tempo de cozimento indicado na embalagem da massa é um indicativo a ser observado. Mas nada supera o tradicional teste: pesque um fio (esfrie-o) e morda. A massa deve estar cozida inteiramente, mas levemente resistente à mordida (famoso ponto al dente - que também é o meu preferido).

O problema neste ponto é: a massa continua cozinhando (com o calor acumulado) depois que você escorre a água e, às vezes, uma massa que você retirou no ponto ideal de cozimento fica mole demais na hora de servir.

Para evitar esse problema, uma parte considerável das pessoas tende a lavar a massa cozida em água corrente assim que escorre a água da fervura. Não acho recomendável (especialmente se você acrescenta temperos - alho, sal, manjericão, etc. à água da fervura).

Outra abordagem é jogar alguns cubos de gelo na água, assim que a massa estiver no ponto - o que interromperia o cozimento.

O que eu prefiro, na verdade, é contar com esse cozimento extra pelo calor da massa. Eu retiro a massa um pouco antes de ela chegar no ponto ideal, escorro a água e a deixo descansar - com o calor acumulado, ela vai chegar ao ponto que eu gosto, sem ficar mole demais (o problema é: eu não sei explicar exatamente a hora de tirar a massa; eu tiro pela experiência de saber que naquele momento, a massa vai ficar no ponto que eu quero).

Quando eu disse que deixo a massa "descansar"... bem... modo de dizer. Com a massa ainda quente, sugiro misturar uma colher de azeite (ou manteiga) e queijo parmesão ralado. Na massa desta receita, especificamente, misturei queijo e orégano e uma colher de manteiga (não sou fã de orégano, mas eu tinha comprado para fazer pão e estava sobrando.... então...)

Misture a massa ao molho e bom apetite.



Para quem tem habilidade, recomendo fazer massa fresca: fica muito mais gostoso e fica pronto mais rápido que a industrializada (isso pra quem tem habilidade!! Pra quem não tem, demora horas e não fica bom).

Como fazer massa (desde o preparo da massa até a massa cozida, em menos de 5min)?

domingo, 28 de agosto de 2011

Arroz com camarão e ervilhas

Parece elaborado, mas é um prato bem simples e que leva  menos de meia hora pra ficar pronto.

Ingredientes:
200g de arroz
400ml de água fervente
2 colheres de sopa de manteiga
tempero a gosto (uma grande amiga me apresentou este tempero para arroz e achei que vale a pena... sem querer fazer propaganda gratuita, mas já fazendo)
100g de ervilhas (use das congeladas, e NÃO das em lata)
100g de camarões (usei camarões limpos - sem cabeça e sem pele - e pré-cozidos)


Tudo começa pelo arroz que você comprou. Há alguns que já especificam, na embalagem, que não há necessidade de lavar e/ou fritar. Eu compro desses e obedeço, porque sou preguiçoso (mas tenho amigos que preferem lavar e fritar, mesmo quando a embalagem diz que não precisa).

Derreta a manteiga, acrescente o arroz e os temperos. Mexa um pouco para os temperos ficarem bem distribuídos, acrescente os camarões e metade da água fervente.

Quando essa água estiver quase secando, acrescente as ervilhas e o restante da água fervente.

Deixe a água secar (sem queimar o arroz) e, por fim, se quiser dar um toque a mais, acrescente salsinha picada e tampe a panela (provavelmente o arroz já vai estar cozido, mas se quiser teste antes de tampar a panela)


Dessa receita, para um risoto de camarão com ervilhas é um pulo. Pra quem quiser dar esse pulo, recomendo seguir o Processo básico para risotos do YesWeCooking

sábado, 27 de agosto de 2011

Sopa de cebola

Eu sei que minha versão de sopa de cebola não é a mais tradicional, nem a mais elaborada, mas ainda assim, teve um resultado bom.  Para quem está atrás de receitas mais tradicionais de sopa de cebola, aponto dois links: o primeiro do Olivier Anquier; e o segundo do Cuisine france.


Ingredientes:

3 cebolas médias
100g de queijo
2 colheres (sopa) de requeijão
sal e temperos a gosto

Preparo
Corte as cebolas em rodelas finas e leve-a a ferver em bastante água (e abra as janelas, porque o cheiro dessa fervura não costuma ser bom).

Acrescente mais água, se necessário, e, quando o cheiro perder força, acrescente os temperos (vale até acrescentar uma ou duas colheres de creme de cebola, dependendo do seu nível de preguiça para temperar e esperar o caldo engrossar).

Quando a sopa já estiver cozida e temperada (e reduzida), acrescente as duas colheres de requeijão e o queijo (no meu caso, usei mussarela mesmo).

Sirva com croutons (ou quadradinhos de pão, tostados no forno, com um dente de alho para dar sabor).


domingo, 21 de agosto de 2011

Buffalo wings

Buffalo Wings são asinhas de frango picantes (normalmente muito picantes), que levam esse nome por terem sido criadas em Buffalo (New York).

Existem tantas variações na receita de Buffalo Wings que é até difícil tentar estabelecer alguns padrões. Há desde a receita que leva suco de laranja até as receitas mais simples com molho a base de pimenta tabasco.

Pelo que andei lendo, muitas vezes ela é feita com pimenta caiena, mas eu não poderia usar essa pimenta, porque me traria dois problemas: 1. encontrar pimenta caiena e 2. a asinha ficar muito picante (não que eu não goste, mas o pessoal que convidei para comer queria pimenta em moderação).

Assim sendo, nesta minha variação da receita, os ingredientes foram:
700g de asinhas de frango
água e vinagre

1 colher (sopa) de azeite,
2 colheres de sal grosso,
1 colher de sal refinado
1 pitada de pimenta do reino

100g de manteiga
2 colheres de páprica picante

Preparo
No dia anterior, lave as asinhas com água e vinagre. Tempere-as com o sal grosso, o sal refinado, a pimenta do reino e o azeite e deixe-as nesse tempero de um dia para o outro.

Misture a manteiga (em temperatura ambiente) e a páprica picante. Cubra as asinhas (no dia seguinte, quando elas já estiverem temperadas) com essa mistura de manteiga e páprica, ajeite-as em uma forma.

Cubra a forma com papel alumínio e deixe as asinhas descansando por meia hora. Em seguida, leve-as ao forno médio, por 30-40min. Desligue o forno e deixe a forma esfriar dentro do forno.

O resultado dessa etapa será uma carne bem cozida e macia.

Para que as asinhas fiquem mais crocantes por fora, na hora de servir, retire-as da forma, retire o excesso de manteiga (se quiser, prove o sal), ajeite-as em uma frigideira anti-aderente e leve a fogo alto (não é necessário acrescentar qualquer óleo porque as asinhas já vão estar bastante 'untadas'), fritando dos dois lados.


Para servir, faça palitinhos de cenoura (apenas cortando a cenoura em formato de palito - o que ajuda a equilibrar a pimenta para quem é mais sensível a gostos picantes) e alguns molhos (no meu caso, fiz apenas um de gorgonzola com iogurte).

Ah... dica para retirar os ossos das asinhas:
"and the best thing about eating chicken wings alone: you can double dip"

sábado, 20 de agosto de 2011

Almondegas ao molho

Chamei o pessoal para vir jogar papo fora e comer alguma coisa em casa no fim de semana. Na verdade, o alguma coisa, no caso, era buffalo wings (que to doido pra fazer já tem tempo), mas nem todos se mostraram empolgados com a ideia de asinha de frango picante. Então, para ter opções, decidi fazer a seguinte almondega ao molho:

Ingredientes:
800-900g de carne moída
1 saquinho (68g) de creme de cebola
3 dentes de alho (descascados e picados ou amassados)
1 ovo
50-100g de bacon defumado (ralado, ou picado bem miúdo... ou moído junto com a carne, se seu açougueiro for gente boa e fizer isso por você)

Preparo:
Em uma vasilha, misture bem todos os ingredientes. Não há necessidade de complementar sal, nem outros temperos. Também não há necessidade de usar farinha de rosca, pão amanhecido ou qualquer outra farinhas.

Faça bolinhas com a carne e as coloque em uma forma.

Não há necessidade de untar a forma ou as mãos na hora de fazer as bolinhas.
 Leve ao forno alto, já pré-aquecido (para que elas dourem rapidamente por fora, sem ficarem secas por dentro).

Quando eu tinha um forno com grill, eu aquecia o grill e colocava as almondegas na forma antiaderente (que era preta) e em alguns poucos minutos a almondega já chegava a esse ponto que eu gosto.
 Outra visão de como minhas almondegas ficaram após alguns minutos de forno alto.
Se é possível fazer na panela?
sim... até fiz algumas que não couberam na minha forma. usei a frigideira antiaderente, sem óleo/manteiga ou qualquer outra gordura mesmo.














O molho.... ainda na ideia das opções, tentei trabalhar com duas ideias:
1. molho de tomate (normal.... receita é o que não falta: receitas de molho de tomate)

















2. calda de ameixa preta. Tem um restaurante árabe aqui em Jampa que serve umas almôndegas de cordeiro na calda de cereja. Como eu tinha umas ameixas muito bonitas aqui em casa, pensei, 'por que não?'
Foram:

2 ameixas picadas
4 colheres (sopa) de açúcar
300ml de água

Leve todos os ingredientes ao fogo, até chegar a um ponto de calda mole/fraca (para pontos de calda, umas dicas do Doces Regionais). Misture as almondegas e deixe alguns segundos no fogo.

Quando se faz calda, há alguns riscos: em especial, a calda começar a respingar. Para evitar isso (já que queimadura de caldas de açúcar é muito ruim), quando a calda começar a subir ou pular, desligue o fogo, deixe esfriar e depois que estiver frio, acenda de novo.

jueves, 18 de agosto de 2011

Biscoitos amanteigados (agora sim: that's the stuff, babe)

 Porque, afinal de contas, quem não tem um pouco de TOC?


Eu já tinha feito alguns testes (alguns com resultados bons, que até publiquei aqui), mas agora sim, ficou do jeito que eu queria!

Ingredientes:
5 colheres (sopa) de farinha de trigo (no caso, a que eu tinha já era daquelas que vem com fermento)
5 colheres (sopa) de açúcar
5 colheres (sopa) de maisena
5 colheres (sopa) de leite em pó
3-4 colheres (sopa) de manteiga (em temperatura ambiente, para facilitar)
raspas de casca de limão

Preparo:
Misture todos os ingredientes secos (açúcar, farinha, maisena, leite em pó - sim, pode colocar uma pitada de sal - e as raspas de casca de limão).

Incorpore a manteiga  - inicialmente, eu coloquei 3 colheres, mas senti necessidade de usar mais 1 - para a massa ter liga (o que quer dizer: formar uma bola homogênea). Deixe a massa descansar por aproximadamente 20min.

Cubra uma forma com papel manteiga. Faça bolinhas de massa (como mostra a foto ao lado), deixando um espaço entre elas para evitar que os biscoitos grudem (lembrando que as bolinhas vão ser achatadas e vão crescer quando estiverem no forno).

Com um garfo, achate as bolinhas.















Nesta fornada, fiz duas variações: a primeira apenas achatada e a segunda com um recheio de geleia de damasco (industrializada mesmo).

Apenas para constar, a geleia era desnecessária. O biscoito, por si só, já tá bão demais da conta, sô!


 Os grandes segredos da receita vêm agora!!!

1. Leve para assar, em forno médio, por, aproximadamente 30min. (não pré-aqueci e o marcador do meu forno diz 230°C - mas não custa enfatizar: cada forno é diferente);
2. Quando você desligar o forno, os biscoitos ainda vão estar moles e quebradiços;
3. NÃO MEXA NOS BISCOITOS ENQUANTO ELES ESTIVEREM QUENTES!!! #LFMF

Se você tentar mexer/retirar os biscoitos ainda quentes, eles vão despedaçar (e, lembra do M&M? a ideia aqui é o biscoito desmanchar na sua boca, não na sua mão ^^ )

No meu caso, desliguei o forno e deixei a forma lá dentro (mas imagino que não haja problemas em retirar os biscoitos do forno após o tempo regulamentar).

Quando os biscoitos estiverem frios, desenforme-os (e boa sorte, tentando comer apenas um).


domingo, 14 de agosto de 2011

Cookies de aveia com chocolate


Se você tiver amigos como os meus, tenha certeza de que esta vai ser a receita com o maior número de trocadilhos que você vai preparar em toda a sua vida. Ainda assim, é uma receita rápida e que costuma agradar a galera.

Ingredientes:
200g de aveia em flocos finos (mas já fiz com flocos maiores, sem nenhum prejuízo ao resultado)
100g de açúcar
100g de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento (químico) em pó
50g de manteiga (em temperatura ambiente para facilitar)
2 ovos
1 colher (café) de essência de baunilha
150g de gotas de chocolate (ou então pegue uma barra de chocolate, de 170g mesmo, picada em quadradinhos pequenos)
1 pitada de sal

Preparo:
Misture todos os ingredientes secos (aveia, açúcar, farinha, fermento e a pitada de sal). Acrescente os ovos, a manteiga, a essência de baunilha e o chocolate.

Com uma colher de sopa, ajeite bolinhas de massa em uma forma (ou forma antiaderente, ou uma forma com papel manteiga). Deixe espaços (de 2cm a 3cm entre as bolinhas, porque elas vão se espalhar e crescer quando estiverem no forno).

Leve ao forno médio (pré-aquecido) até os cookies começarem a dourar.

Dá para substituir o chocolate por passas (nesse caso, sugiro colocar as passas em água morna por alguns minutos para hidratá-las.... só não esqueça de escorrer o excesso de água antes de misturar as passas à receita)

Ratatouille

I wish, né?..... essa foto eu achei no google (no blog Leitura Gastronômica)

As minhas não costumam ficar tão bonitas quanto a da foto, mas é uma receita que acho que vale a pena (é um prato leve, fácil de fazer e ótimo para dias quentes).

Ingredientes:
aproximadamente 300g de berinjela
aproximadamente 300g de abobrinha
2 tomates (cortados em espessuras finas)
1 cebola média cortada em rodelas
1-2 dentes de alho (picados em fatias finas)
vinagre, azeite, ervas (manjericão, tomilho, etc.), sal, pimenta e outros temperos a gosto
Preparo:
Há receitas de ratatouille cozidas e assadas - e mesmo nessas subdivisões, os preparos tendem a variar. No meu caso, fiz da seguinte forma:

Descasque e fatie a berinjela (em fatias finas, ou em formato de meia lua) e coloque-a em água com vinagre para evitar que ela oxide (também é possível deixá-la em sal grosso e depois lavar a berinjela para retirar o excesso de sal).

Fatie todos os outros ingredientes (também em fatias finas) e proceda a montagem do prato em um refratário, alternando camadas de berinjela, cebola, tomate e abobrinha (algumas receitas também usam pimentão, mas eu não usei desta vez).

Em um copo, faça uma mistura nas seguintes proporções:
1/4 (50 ml, aproximadamente) de azeite (mas pode acrescentar mais se quiser)
1/4 de água
1/4 de vinagre branco
1/2 colher de (sopa) rasa de sal
alho, ervas e outros temperos.

Mexa bem e regue os legumes (já dispostos na forma refratária) com essa mistura.

Cubra o refratário com papel alumínio e leve ao forno até os legumes ficarem macios e bem cozidos.

A ratatouille poder ser servida quente ou fria e pode ser tanto uma entrada como um acompanhamento (embora eu, várias vezes, coma como prato principal mesmo).

Recomendo! Tanto a receita quanto o filme (que apesar de ser muito legal, não foi muito bem distribuído)

sábado, 13 de agosto de 2011

Feijão Branco

Feijão branco é tradicionalmente associado a dobradinha (e, quando bem preparado, é muito bom), mas não necessariamente precisa dessa companhia.

Eu costumo fazer com linguiça e bacon e o maior grau de dificuldade da receita é deixar o feijão branco de molho de um dia para o outro.

A parte de colocar o feijão de molho de um dia para o outro, pelo que me ensinaram (e pelo que minha mãe vive repetindo) ajudaria a eliminar os oligossacarídeos e fitatos e contribuiria para melhorar a digestão do feijão.

Ingredientes:
500g de feijão branco
150g de linguiça calabresa (retire a pele e pique-a em cubos)
75g de bacon (picado em cubos)
sal, alho, cebola, salsa, pimenta do reino e outros temperos a gosto
molho de tomate (normalmente uso uma embalagem de molho industrializado mesmo, mas para quem precisa reduzir o sódio da dieta, dá para fazer um molho simples com alguns tomates frescos cortados em cubos)

Preparo
Como dito anteriormente, na noite anterior ao preparo, coloque o feijão branco de molho em água (não há necessidade de acrescentar sal, nem nada).

Descarte a água (em que o feijão ficou de molho) e coloque o feijão para cozinhar (em panela normal - não há necessidade de usar panela de pressão). Deixe o feijão cozinhar bem (para saber se o feijão está bem cozido, basta pescar um grão e testar).

Em uma panela separada, frite o bacon e a linguiça (não há necessidade de acrescentar óleo, pois o bacon e a linguiça já têm bastante gordura - e dá até para descartar uma parte da gordura que se desprende das carnes) - uma dica na hora de fritar as carnes é mexer de tempos em tempos - para evitar que elas se queimem de um lado e fiquem cruas de outro. Nesta panela das carnes, acrescente o alho, a cebola, o sal (moderação nesta hora: lembre-se que sal a menos é muito fácil de consertar, mas sal a mais, não é), a pimenta e mexa bem. Em seguida, acrescente o molho de tomate (ou os tomates frescos cortados em cubinhos - nesse caso, deixe cozinhar por alguns minutos para que o tomate amoleça).

Por fim, acrescente o feijão cozido ao molho. Teste o sal, acrescente salsa (ou outros cheiros verdes) e sirva.

martes, 9 de agosto de 2011

Sonho dourado (ou polenta frita recheada)

Muito muito tempo atrás.... (as datas reais já começam a denunciar a idade), eu fazia parte da comissão de formatura da faculdade e precisávamos definir o buffet do baile (até comissão de formatura tem um lado bom, certo?).

Para sermos bastante democráticos, gastronomicamente falando, definimos que teríamos uma opção de frango, uma de carne, uma de queijo, uma vegetariana (e por aí vai, que já não lembro nem quantas opções tínhamos que selecionar mais).

E veio a dúvida sobre a opção de frango. O dono do buffet nos sugeriu, então, o sonho dourado. Basicamente era uma coxinha de frango, mas em formato quadrado.

Primeiro veio o momento WTF, mas depois ele explicou: a maior parte das pessoas gosta de coxinha de frango, mas ninguém come coxinha de frango em um baile por achar que é um salgado muito normal. Mas, se você mudar o nome e o formato, as pessoas voltam a comer e acham ótimo...... só pra constar: ele estava certo!

Aproveitando a ideia do Bolinho (não tão) caipira do Panelaterapia e o sonho dourado do meu buffet de formatura, fiz a seguinte receita:

Ingredientes para a massa:
200g de farofa pronta industrializada (é possível substituir por farinha de milho, temperos e um pouco de farinha de mandioca - como a do Panelaterapia)
1 colher (sopa) de salsão picado
2 colheres (sopa) de óleo de soja
aproximadamente 150ml de água (ou o suficiente para dar o ponto)


Misture todos os ingredientes e leve a massa ao fogo médio, mexendo sempre, até a massa soltar do fundo da panela, formando uma bola única e parecendo um angu/polenta mole (na foto ao lado, a massa já está mexida - eu já tinha começado a enrolar os bolinhos -, mas dá para ter uma ideia do ponto).

Essa massa é bastante maleável e fácil de manusear - mas apenas enquanto está morna (quando ela esfria totalmente, fica quebradiça e difícil de modelar... mas aí, é só voltar a esquentar, acrescentando mais um pouco de água, se necessário).

Utilize cerca de uma colher de sopa da massa por bolinho. Abra a massa e coloque o recheio. Feche o bolinho e molde-o, da forma que preferir (eu fiz em formas quadradas, como já disse).


Recheios:
Usei peito de frango desfiado para rechear os bolinhos, mas é possível fazer diversos outros recheios.

A sugestão do Panelaterapia foi filé mignon picado bem miúdo, refogado com bacon, cebola, alho e cheiro verde.

Outras possibilidades são: azeitona sem caroço; presunto ralado (com queijo); e por aí vai.

Finalização dos bolinhos:
Prontos os bolinhos, deixe-os esfriar (facilita a finalização, especialmente se for fritá-los) e frite-os (em óleo, ou empanando-os) ou leve-os para assar.... No meu caso, para usar menos óleo, usei uma frigideira anti-aderente e 1 colher (sopa) de óleo (para fritar todos os bolinhos, como mostra a foto... aliás, o fato de eles serem quadrados facilitou bastante para preparar assim).

PS: dá pra dizer que ficou parecendo polenta frita recheada, ou pastel de angu

viernes, 5 de agosto de 2011

Stuffed pizza rolls

For the recipe in English (if a search engine has brought you here), go to Ourbestbites.com.

Há umas semanas, em mais uma das conversas super-produtivas, Gu disse "minha tia fazia um pão, estilo panetone salgado, só que ele era recheado e em bolinhas, vc ia tirando as bolinhas e comendo... dificil ate de explicar, mas mto bom". Fiquei encucado com isso (e até tentei, quando fiz meu Panetone Salgado). Coincidentemente, outro dia, vendo o Cinara's Place, me deparei com uma receita de stuffed pizza rolls.

Aí... aproveitando o feriado municipal e a viagem de turma combinada - para outro município, que não vai estar em feriado - resolvi tentar de novo.


Ingredientes para a massa (a massa é igual à que eu tradicionalmente faço, então a receita é repetida)


550-600g de farinha de trigo
2 tabletes de fermento biológico
3-4 colheres de sopa de açúcar
3 colheres de sopa de óleo
300ml de água morna
sal, pimenta do reino e outros temperos a gosto (não sou fã de orégano, mas para quem é..)


Preparo da massa:
Em uma vasilha (ou superfície lisa) coloque a farinha de trigo e faça uma cavidade no meio da farinha, coloque o fermento e o açúcar  nessa cavidade e acrescente um pouco de água morna para dissolver o fermento. Deixe essa mistura, chamada esponja, fermentar por 20min. aproximadamente.

Eu me perguntava por que fazer essa esponja (sempre vi que era necessário, mas não sabia a razão). Até que, outro dia, lendo sobre massas, vi que "a função função da esponja (...) não [deixar] a massa com gosto de fermento" e contribuir para o crescimento da massa.

Em seguida, misture o óleo, o sal (e outros temperos a gosto) e o restante da farinha à esponja. Acrescente mais água morna (aos poucos!!!) para dar liga à massa. A quantidade de água a ser usada varia de acordo com a qualidade da farinha de trigo. Coloque a água aos poucos e misture bem a massa. O ponto correto é uma massa que se solta facilmente da mão.

Feita a massa, deixe-a descansar até dobrar de tamanho (repare que na 1a foto, há um furo na massa: quando for colocar a massa para crescer, faça um furo nela - com o dedo mesmo. Esse furo serve de parâmetro para ver quanto a massa cresceu).

Divida a massa em 5 partes e deixe crescer por mais 20min (eu usei meus 20min vendo um episódio de Modern Family - recomendo).

Divida cada uma dessas partes em 4 e deixe crescer mais 20min (outro episódio de Modern Family).

Deixe crescer por mais um episódio de Modern Family (acredite em mim, ver 3 episódios em sequência é fácil) e divida pela metade (totalizando 40 bolinhas de massa).

Essas bolinhas de massa não precisam ficar exatamente iguais (a menos que você tenha TOC), mas é importante que os tamanhos sejam aproximados para evitar que umas fiquem queimem no forno enquanto outras ainda estão cruas).


Recheios:
Como o propósito da receita foi fazer uma fornada para turma, resolvi fazer quatro recheios e dividi-los aleatoriamente pelo tabuleiro, para criar um fator surpresa.

1a opção: Queijos com pimenta
mussarela ralada
queijo saint paulin ralado (com dois hu-rays pelo fato de eles serem produzidos aqui)
queijo parmesão ralado
pimenta calabresa

2a opção: Marguerita
tomates (sem sementes), picados em cubos
algumas folhas de manjericão
pitada de sal
queijo

3a opção: Frango cremoso
frango desfiado (reaproveitei um peito que eu tinha na geladeira, desfiei), misturado com cream-cheese

4a opção: Creme de brócolis
aproveitei os talos e folhas do brócolis, cortados pequeno, misturei creme de leite e creme de cebola.

Mais opções?
dá uma olhada na geladeira que esta receita é receptiva a restos. Eu sugeriria milho e bacon, calabresa com cebola, camarão e cream cheese (mas aí tem que consumir logo), e por aí vai...

Pegue cada uma daquelas 40 bolinhas e abra-a com um rolo (dentro de um saco plástico, para evitar bagunça), ou abra na mão mesmo, dependendo da sua habilidade. Não tirei foto desta etapa, mas tem esta aqui do Our Best Bite.

Recheie individualmente e coloque as bolinhas recheadas lado a lado, em uma forma (usando papel manteiga para facilitar na hora de tirar)

Em situações normais, eu diria deixe crescer por mais 20min, mas o tempo de rechear e enrolar as bolinhas foi suficiente.

Leve para assar, por aproximadamente 25min em forno médio. O tempo varia de acordo com o forno, mas quando a massa estiver dourada (como nas fotos abaixo), ele está pronto.


Sim, eu confesso que fiz uma fornada da insegurança (eu pudia tá mintino, eu pudia tá tentano inganar e dizer que não coube na outra forma, mas foi fornada da insegurança mesmo)

Amostra de cada sabor...

Assado....


E comido antes de servir a fornada grande para a galera...











E, por fim, a fornada completa (para a turma). Só pra constar, o pãozinho que tá parecendo mofado (no canto direito inferior da foto abaixo) está assim por uma combinação de recheio de brócolis e massa fina (se olhar na forma antes de assar, já dá pra ver ele meio esverdeado). Não é mofo não!

Neste exato momento, já estão todos em uma vasilha, esperando para ir para a viagem.

E bom feriado para quem fica na cidade!

jueves, 4 de agosto de 2011

Biscoitos de gengibre (e laranja/limão)

Foram três fornadas até este biscoito ficar mais ou menos do jeito que eu queria (ainda tenho planos de mudar a receita, mas esta última fornada foi boa). Eu comecei querendo fazer biscoitos amanteigados e testei esta receita aqui. Ficou gostoso, mas duro (fiz dois testes: um mais próximo à receita e outro com modificações, mas ambas ficaram duras).

Por último, testei esta receita do PtitChef, mas com várias modificações. O resultado ficou um meio do caminho entre o biscoito amanteigado e o sequilho. Ainda não foi exatamente do jeito que eu queria, mas ficou bom. Vamos lá:

Ingredientes:
3 colheres (sopa) de açúcar
3 colheres (sopa) de farinha de trigo (a que eu tinha em casa era aquela que já tem fermento misturado)
100g de maisena (aproximadamente)
2 colheres de sopa de manteiga
casca de 1 limão (ralada)
2cm de gengibre (ralado)
creme de leite (minha manteiga tinha acabado e era o que tinha em casa. usei aproximadamente 3-4 colheres de sopa)
pitada de sal


Preparo:
Em uma vasilha, misture todos os ingredientes secos (a farinha, o açúcar, a maisena e o sal).

Acrescente o gengibre e a casca de limão ralados.

Misture a manteiga (em temperatura ambiente) e, por fim, acrescente o creme de leite até dar o ponto (a massa tem que ficar delicada, homogênea e soltando facilmente das mãos).

Como esta massa é muito parecida com massa podre, sugiro amassar usando apenas as pontas dos dedos, sem sovar.

Deixe a massa descansar por 20min, aproximadamente.

Faça bolinhas com a massa e ajeite, sobre um papel manteiga, em uma forma, com alguns centímetros de distância entre os biscoitos. Achate as bolinhas com um garfo (fazendo desenhos se quiser).

Leve para assar, em forno médio, por aproximadamente 20min. O tempo varia de acordo com o forno. A massa não deve ficar no forno até dourar  - os biscoitos devem ser retirados ainda claros. (Descobri o ponto roubando alguns da forma e comendo: Quando eles estavam sequinhos por dentro, desliguei e retirei do forno).



Dica valiosa: o saquinho de maisena vem pregado à caixa... e não é selado.... não tente virar a caixa de cabeça para baixo depois que ela tiver sido aberta #LFMF.

martes, 2 de agosto de 2011

Torta de soja (com queijo e ovo)

Eu comprei um daqueles pacotes de farofa pronta e ele estava próximo do vencimento. Para não jogar fora, resolvi aproveitar a farofa para fazer a seguinte torta de soja:

Ingredientes:
200g de proteína de soja
200g de farofa pronta
200ml de água
salsão cortado
1/2 cebola ralada
1-2 dentes de alho
75-100g de brocolis (usei do congelado mesmo)
1 colher (pequena) de fermento químico (em pó)
sal e outros temperos a gosto
2 ovos
200-300g de mussarela ralada
1-2 colheres de parmesão ralado

Preparo:
Em primeiro lugar, hidrate a proteína de soja. Logo que comprei, comecei a procurar algumas receitas e li, no VilaSabor, que é bom hidratar a soja em água quente por aproximadamente 2h (a quantidade de água deve ser suficiente para cobrir a proteína de soja) e, em seguida, escorrer e descartar essa água: isso retiraria, segundo o VilaSabor, a maior parte da acidez da soja (que seria responsável por aquele gosto característico da soja que nem todo mundo gosta). Bem, segui a indicação deles e a minha receita não ficou com gosto marcante de soja.

Misture todos os ingredientes em uma vasilha, deixando o brócolis e o fermento para misturar por último.

O fermento ficou entre os últimos ingredientes porque ele precisa, inicialmente, ser misturado a uma pequena porção da massa para que, em seguida, essa pequena porção seja misturada ao restante da massa.

E o brócolis eu deixei separado para misturar por último para facilitar na hora de mexer a massa.

Vire a massa em uma forma untada e enfarinhada e leve ao forno médio.
Não abra o forno nos 25min (aproximadamente) para a massa crescer. Em seguida, abra o forno e faça um teste com um palito de dentes (espete o palito em diferentes pontos da torta e veja se ele sai limpo ou com pedaços de massa. Se ele sair limpo, a massa está assada).


Depois de pronto, achei que ficaria muito bom se eu tivesse acrescentado alguns pedaços de palmito.


Sobre substituições de ingredientes:
Usei a farofa pronta porque, como disse, eu não queria desperdiçar. É possível substituí-la por farinha de trigo, por exemplo (nesse caso, temperar mais a massa);

Sobre a água: eu a utilizei como um substituto para leite (segundo minha irmã, na maior parte das receitas, o leite é usado apenas como um componente líquido e não faz diferença substituí-lo por água. No caso desta receita, achei que a água ficou bem);

Não sou vegetariano e não sei como substituir o queijo e os ovos nessa receita (no máximo, eu substituiria o queijo mussarela por um queijo prato ou outro parecido)