miércoles, 9 de noviembre de 2011

Cuscuz (quase nordestino) com legumes

Entre a colônia de mineiros daqui, já conversamos várias vezes sobre por que o pessoal daqui não come pão. Não que eles não comam pão nunca, mas a quantidade de pão que nós comemos nem se compara com a quantidade de pão que eles comem. O mais próximo que chegamos de uma conclusão foi: é culpa do cuscuz. Nos horários em que nós, mineiros, costumamos comer pão, o pessoal daqui costuma comer cuscuz - e pra quem tem cuscuz (especialmente quando bem feito - como o que faz a mãe de uma amiga), pra que pão?

A ideia de fazer um cuscuz quase nordestino (quase porque definitivamente meu cuscuz não ficou um legítimo cuscuz nordestino) veio do Couscous de legumes do Nabiroskinha - achei a ideia tão boa e o prato tão bonito que resolvi tentar fazer, usando flocos de milho para cuscuz nordestino.

Usei como referência duas receitas do Aquinacozinha.com: salada de cuscuz nordestino e mini cuscuz nordestino.

Ingredientes
1 cebola média
1,5 colher (sopa) de manteiga

água
1 tablete de caldo de legumes
200g de flocos de milho para cuscuz
flores de 1 maço de brócolis (picadas)
queijo

Meu primeiro problema foi não ter uma cuscuzeira. E, como não como tanto cuscuz assim, não pretendia comprar uma apenas para fazer esta receita. Lembrei então que quando comprei minhas panelas, o moço da loja chamou a panela de cozimento a vapor (que eu normalmente uso como escorredor de macarrão) de cuscuzeira. Então... por que não tentar?



Por medo de que cuscuz vazasse na hora do cozimento, comecei picando a cebola em rodelas e fritando-as na manteiga. Usei essas cebolas para cobrir o fundo da panela (e assim, diminuir o risco de ver meus flocos de cuscuz caindo todos).




Fervi água para dissolver o caldo de legumes e hidratei os flocos para cuscuz com esse caldo. A água deve ser misturada aos poucos, em quantidade suficiente para umidecer o cuscuz, fazendo com que ele pareça uma farofa úmida (palavras do Aquinacozinha.com). Depois de misturar a água, os flocos ficam descansando por 10-15min (para que inchem)




Como eu disse, meu cuscuz não foi exatamente nordestino, então, misturei as folhas de brócolis aos flocos de milho (os talos e as folhas eu reservei para fazer um suflê, a exemplo do Nabiroskinha - é sempre bom reduzir desperdícios, não?).

Coloquei metade da massa sobre a cebola, pressionando para compactar.







Algumas fatias de queijo, para rechear (afinal de contas, tem toda aquela relação de amor entre mineiro e queijo, né?)











O restante da massa de cuscuz, também pressionando para compactar.

Levei para cozinhar no vapor por alguns minutos. Depois de a água ferver, 2min, segundo o  Aquinacozinha.com.









E o teste final: desenformar.







2 comentarios:

Guloso e Saudável dijo...

Chef,
Como meio nordestina meio cidadã do mundo também comemos cuscuz, e uma das receitas é bem semelhante a essa que publicou, meus filhos adoram.
Vânia

Chef Wannabe dijo...

Vânia, lá em Minas Gerais a gente não tem muito cuscuz nordestino. Lembro que quando mudei para cá e provei pela primeira, foi traumatizante. Estava muito mal feito e não gostei nada. Depois fui tomando coragem e provando outras vezes. Foi só quando a mãe de uma amiga fez um cuscuz para mim que entendi porque faz tanto sucesso