viernes, 30 de septiembre de 2011

Focaccia

Normalmente, quando encontro um blog de comidas que me interessa, eu dou uma olhada em todo o histórico de receitas e vou separando as que quero fazer. Muitas receitas entram na lista das que eu quero fazer no longo prazo, mas tem umas que eu fico com vontade de fazer logo. Foi o que aconteceu quando vi a focaccia, do NaBiroskinha.


Como eu já tinha familiaridade com a massa da receita e tinha todos os ingredientes em casa (pelo menos para os meus planos iniciais), a focaccia saiu furando fila de receitas e entrou na ordem do dia.


A semelhança entre a focaccia e a pizza é grande - o que me motivou a procurar alguém que definisse o que é cada uma. Segundo a Andrea Vieira, na Gazeta do povo, a diferença seria que “a focaccia é um pão com um pouco de cobertura sobre ele, a pizza é uma cobertura com um pouco de pão”.


Outra informação interessante que encontrei foi que as coberturas mais tradicionais são: azeite, sal grosso e alecrim ou sálvia (dois temperos que me fazem lembrar bastante do meu avô).


Essas pesquisas (especialmente a lembrança do meu avô) me fizeram mudar meus planos: Saí para comprar alecrim e decidi fazer uma focaccia mais clean.


Outras informações interessantes que apareceram sobre a focaccia foram:

  1. Gazeta do povo e o LaCucinetta recomendam servir com a massa ainda recém-assada (bem, toda massa fermentada, quando está recém-assada é muito melhor - mas já que nesse caso tem recomendação expressa, a gente segue);
  2. A massa normalmente tem 2cm de altura;
  3. As ervas (alecrim ou sálvia) não são colocadas sobre a massa na hora que a massa vai assar, mas na metade do tempo de forno (para evitar que elas queimem);
  4. Ninguém diz isso explicitamente, mas somando as várias informações, conclui que outras coberturas podem ser colocados também nessa pausa da metade do tempo de forno;
Depois de todas essas (e outras) pesquisas, acabei fazendo a seguinte massa:

Ingredientes
2 colheres (sopa) de açúcar
1 envelope de fermento biológico
2 colheres (sopa) de manteiga (em temperatura ambiente)
pitada de sal
300g de farinha
200ml de água morna (lembrando que não necessariamente toda essa água será usada)
sal grosso (1 colher de sopa, aproximadamente)
cebola (1 cebola, pequena, cortada em rodelas finas)
alecrim (4-5 galhos - usei apenas as folhas, para deixar claro)
azeite

Preparo
Misture o fermento biológico o açúcar, o sal, a manteiga e um pouco da farinha. Coloque um pouco da água morna (enfatizo a importância de colocar a água aos poucos! sempre!).

Deixe crescer por alguns minutos.

Incorpore o restante da farinha, misturando a água morna (aos poucos!). Misture água até a massa formar uma bola única, que se solta da mão com facilidade (mas nem por isso uma massa pesada).

Cubra com um pano e deixe crescer por mais 1h (aproximadamente).

Abra a massa e coloque-a em uma forma coberta com papel manteiga untado com azeite. Deixe descansar por mais 10min.

Faça furos na massa com os dedos (sem furar/rasgar).

Polvilhe sal grosso sobre a massa, arranje as rodelas de cebola e e leve para assar (em forno médio, pré-aquecido) por 15min.

Abra o forno, coloque as folhas de alecrim (embebidas em um pouco de azeite) sobre a massa e deixe a massa assar por mais 10-20min (até ficar dourada por cima).

Sirva a massa recém-assada (fica muito bom com fatias de mussarela).


2 comentarios:

YES we Cooking dijo...

Ficou ótimo hein? Nunca fiz mas estou para criar coragem, bom ter essa sua receita, beijos, Cecilia

Chef Wannabe dijo...

Crie coragem sim! é sempre divertido fazer massas com fermento biológico (e recomendo a combinação alecrim e cebola)